PERFEITA É A MÃE


No mundo politicamente correto de hoje em dia, é muito complicado se criar um filho. Perfeita é a mãe (Bad Moms) mostra uma realidade em que mulheres independentes e trabalhadoras precisam também cumprir a tarefa de dona de casa e mãe, fazendo com que a mulher fique sobrecarregada em todas as funções.

O filme mostra que ser uma mãe perfeita nos dias de hoje, significa ter que abrir mão de suas vontades próprias e viver sua vida apenas em funções dos filhos, e Amy (Mila Kunis) aceitava perfeitamente que sua vida fosse assim. Trabalhando apenas duas vezes por semana em uma empresa, para que pudesse se dedicar aos filhos, levando-os e buscando em todas as atividades extracurriculares, participando de todos os eventos da escola e até mesmo fazendo os trabalhos dos mesmo. Mas quando descobre que seu marido, Mike, está tendo um caso a alguns meses com uma mulher que só conhece no computador, Amy surta um pouco.

Ela começa a agir de maneira estranha e parar de concordar com as regras que foram estabelecidas para sua vida. Então se junta com outras mães, que também buscam se libertar de uma realidade sufocante. Elas não estão atrás de apenas diversão, elas querem reconhecimento pelo trabalho que fazem dentro e fora de casa.


Não existe nada de novo em Perfeita é a Mãe!. nada de surpreendente ou incrível. É apenas mais um filme como os outros do gênero, repleto de clichês. No entanto, mostra um conceito diferente sobre a maternidade/paternidade, estabelecendo que não existe mais um papel único da mulher ou do homem, mas como eu disse antes, nada de novo, surpreendente ou incrível. Fica apenas claro que ninguém é obrigado a nada, e que você, como mãe, pode mudar o rumo das coisas que acontecem em sua casa.


Apesar de terem colocado seis ótimas comediantes para protagonizar o filme, a narrativa do filme é mal construída e o excesso de piadas sexuais constrangem mais do que alegram quem está assistindo. Um bom filme para assistir quando não se tem mais nenhuma opção, mas está longe de ser um filme que eu assistiria outra vez. 



 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!