RESENHA: A GAROTA DO CALENDÁRIO (JUNHO) - AUDREY CARLAN

Título: A Garota do Calendário: Junho 
Título original: Calendar Girl
Série: A Garota do Calendário
Autor: Audrey Carlan
Livro: 06
Editora: Verus
Páginas: 160
Adicione: Skoob
Comprar: Saraiva Amazon
Nota: 4/5
"Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de junho em Washington com Warren, um coroa rico que precisa de uma mulher a seu lado para tratar com políticos e investidores. O acordo entre eles não envolve sexo — já com Aaron, o filho de seu cliente, Mia não pode garantir."

Como já contei nas resenhas dos livros anteriores (JaneiroFevereiroMarço - AbrilMaio) Mia Saunders precisa de muito dinheiro, depois que seu pai fez uma dívida de um milhão de dólares com Blaine, um perigoso agiota, que por acaso é o ex-namorado dela, e acabou em coma no hospital, restou para a garota largar sua vida para conseguir pagar a dividia, já que o agiota estava ameaçando a vida de Maddy, sua irmã mais nova. Mia então virou um acompanhante de luxo e todo mês é mandada para um destino diferente, onde mora com seu cliente e vive novas aventuras. 

O mês de Junho chegou e Mia precisou dar adeus a quente “férias” que passou no Havaí e embarcar diretamente para Washington, onde seu novo cliente, Warren Shipley, um senhor riquíssimo que precisa de uma namorada troféu para poder realizar o sonho da falecida esposa (aposto que estão se perguntando: o que?), a espera. 


Warren é um homem bom, simpático e humilde, apesar de todo dinheiro que tem em sua conta bancaria. Seu objetivo é conseguir investidores para seu projeto filantropo, que consiste em levar assistência medica aos países de terceiros mundos sem lucro algum, algo muito difícil de conseguir. Para se enturmar com os possíveis investidores, ele precisa que Mia assuma um papel totalmente oposto a sua personalidade, que ela seja uma namorada bonita, fútil e burra. A garota precisa fazer amizade com as outras “namoradas troféu” (odeio essa expressão) para que Warren consiga o apoio necessário.

"Sim, a vida era estranha, mas eu a estava vivendo ao máximo. Aceitava cada dia como ele vinha e experimentava tudo que podia. Aceitava o bom, o mau e até mesmo o feio, porque tudo isso era parte do processo. Como minha tatuagem dizia, eu tinha que confiar na jornada."


Mia é uma aspirante a atriz e se apaixona pelo projeto de Warren, assim a garota facilmente conseguiu assumir o papel e ajudar ao seu mais novo amigo. Sua relação com Warren é totalmente amistosa e respeitosa, Shipley enxerga Mia como uma filha mais nova e acaba aprendendo bastante com a garota. Mas não podemos dizer a mesma coisa de seu filho, Aaron.

Aaron Shipley é um homem extremamente irresistível. Aos 35 anos, ele é o senador mais jovem dos Estados Unidos, com propostas sensacionais para melhor o país e com um jogo de sedução que deixa Mia louca para passar o mês ao lado dele.

Mas cada dia na casa dos Shipley, mais segredos ela vai descobrindo, como o caso que Warren mantém com a Kathleen, a governanta da casa, desde alguns anos após a morte da esposa, por medo do filho descobrir o relacionamento. Isso faz com que Mia adquira mais um objetivo: ser o cupido desse novo casal, querendo mostrar a ele que não precisam esconder o amor que sentem um pelo outro. E apesar das suas intenções serem as mais puras, as conseqüências de suas ações causa um impacto enorme da nossa acompanhante de luxo favorita. 

“Talvez algumas pessoas simplesmente nunca superem o primeiro amor. Merda. Eu esperava que não fosse o meu caso. Tive uma porcaria de primeiro amor.”
Ao chegarmos a metade da série, nos deparamos com livro que tinha tudo para ser “leve” mais se torna um livro extremamente tenso e com uma abordagem diferente dos outros. Tanto no cenário, quanto nos personagens. A Audrey Carlan, nos mostrou nos livros anteriores o lado bom do luxo e do dinheiros dos clientes da Mia, mas aqui ela a nossa garota precisou enfrentar situações muito complicadas e conheceu o lado feio da riqueza. Onde pessoas más se safam de coisas graves. 

Ler sobre situações política e namorada troféu – já disse o quanto odeio esse tema? – de homens que saem com mulheres com idades para serem suas netas, apenas para mostrarem que conseguem qualquer coisa com dinheiro é complicado, mas adivinhem só? Isso tudo realmente acontece e é bem triste. Eu não tenho nada contra a diferença de idade, mas tratar uma mulher como objeto sexual é deprimente, para não falar outras coisas. A autora conseguiu introduzir um assunto muito real em uma série de romance erótico de uma forma esplêndida, tenho que aplaudir a Audrey por isso!

Esse foi um dos livros que eu mais gostei da série, porque a Mia se mostra realmente focada no projeto de Warren e no seu projeto pessoal de juntar ele oficialmente com a Katheleen. Claro que temos cenas bem quentes nesse livro, como uns flertes aqui e ali, uma troca de mensagens com Wes e alguns sonhos com ele – sou Team Wes desde o primeiro livro e amo quando o “diretor de cinema surfista gato” aparece em cena -, mas a autora mostra a personagem focada mais em suas missões do que no sexo em si. 

No meio do livro começa acontecer algumas coisas tensas, que me fez pensar que teríamos uma cena pior até o final do livro, mas a forma como a autora escreveu foi surpreendente e intenso. E confesso que apesar de ter entendido o final, eu fiquei com muita vontade de entrar no livro e gritar com TODOS os personagens envolvidos. Mas o que mais me emocionou no livro foi quando a Mia percebe que nessa jornada, ela fez muitos amigos verdadeiros.

“Nunca duvide de que você é amada, garota. A família é você quem faz, e eu sempre vou estar ao seu lado.”
Quanto à edição física, o livro continua no mesmo padrão da série. Capas com vestidos bonitos, diagramação simples, com a media de 100 a 150 paginas, o que nos faz ler o livro em poucas horas, uma boa revisão e, o que eu mais gosto no mundo: paginas amarelada.


 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!