RESENHA: HALO - ALEXANDRA ADORNETTO

Título: Halo 
Título Original: Halo
Série: Halo
Livro: 01
Autora: Alexandra Adornetto
Editora: Agir
Páginas: 468
Ano: 2010
Adicione: Skoob 
Compre: Submarino / Amazon

Três anjos são enviados à Terra com planos de se misturarem aos humanos para assegurar a paz e trazer a bondade: Gabriel, o Herói de Deus, um antigo guerreiro que se disfarça de professor de música; Ivy, serafim abençoada com poderes de cura; e Bethany, a mais nova e inexperiente do grupo, enviada como uma jovem estudante para aprender sobre a humanidade.
Após Bethany se encantar com a vida humana, ela começa a viver todas as experiências de uma adolescente normal, até se apaixonar por um rapaz e colocar toda a missão em risco. As forças do mal se aproveitarão dessa situação para pôr seus planos malignos em prática. Um romance de tirar o fôlego, que responderá a pergunta: será que o amor é forte o suficiente para vencer as forças do mal
 
Venus Cove sempre foi uma cidadezinha paradisíaca, segura e cheia de alegria, mas de repente algumas coisas começam a acontecer. Assaltos, incêndios, assassinatos e suicídios começam a fazer parte da rotina dos moradores, tudo isso porque soldados das trevas estão na cidade, influenciando a mente dos moradores. Por isso que os anjos Bethany, Ivy e Gabriel (o arcanjo mais famoso) são enviados para a cidade com a missão de protegê-la e afastar as trevas.

O problema com esse trio é que Bethany é completamente inexperiente, essa é a sua primeira visita à Terra, por tanto, a primeira vez em que assume a forma humana, o que a deixa vulnerável a praticamente tudo. Ela demora bastante para entender porque é preciso comer diariamente, escovar os dentes, como usar um batom e qual a finalidade dele, e, confesso, é bem engraçado ver ela aprendendo todas essas coisas que estamos tão acostumados.

"Mas eu era um anjo na forma mais pura e mais vulnerável. Eu era ingênua e crédula, jovem e frágil. Sentia dor, porque não tinha anos de sabedoria e experiência para me proteger disso. Era por esse motivo que Gabriel desejava que eu não tivesse sido escolhida, e era por esse motivo que eu fora."

Os três se tratam como irmãos e inventam que seus pais diplomatas viajam o mundo inteiro, e que por isso eles decidiram para numa cidade pequena para sossegar. Como parte da missão, Bethany logo começa a estudar na escola da cidade, para mudar a mente dos colegas com a ajuda de Gabriel, que começa a trabalhar como professor de música na mesma escola. Enquanto isso, Ivy começa a prestar serviços comunitários na igreja local e a movimentar a cidade com eventos de caridades.

Beth, como começa a ser chamada, é bem diferente dos seus “irmãos”, Gabriel e Ivy não se envolvem emocionalmente com os humanos, apesar de quererem ajudar, eles não desenvolvem nenhum tipo de sentimento e permanecem frios, mas Beth desenvolve sentimentos por tudo a sua volta, a menina quer aproveitar ao máximo a vida adolescente que está levando na Terra. E quando conhece Xavier, podemos perceber o quanto ela se sente confusa em relação aos sentimentos desconhecidos.


Xavier é o meu personagem predileto desse livro. Ele é um garoto alegre, dedicado, e apesar de ser um pouco misterioso no começo do livro, sua personalidade é bem fácil de gostar (Beth bem pode dizer isso). Entretanto, se os anjos já não deveriam desenvolver sentimentos por humanos, imagine se apaixonar e criar laço com um?

Os dois começam um relacionamento bem devagar, são paginas e paginas com Beth narrando suas dúvidas e anseios. Eles se conhecem aos poucos e começam a passar bastante tempo juntos, o que desagrada bastante seus irmãos, que começam a achar que ela está se desviando de sua missão.

"Acho que não poderíamos ter evitado, pois fazia parte da nossa história desde o início. Afinal, as coisas vinham correndo bastante bem, e era de se esperar que houvesse alguma pedra no caminho. Só não contávamos que ela fosse tão grande.A pedra veio da Inglaterra e tinha nome: Jake Thorn."

E quando você começa a achar que a história está indo devagar demais, eis que surge Jake Thorn, um garoto que podemos definir, com todo clichê do mundo e a velha jaqueta de couro, como um “bad boy”. Jake começa a se aproximar de Beth com todas as más intenções possíveis, mas a mesma é uma “pessoa” muito ingênua e não consegue perceber isso logo de cara e, como podemos prever, quando descobre o estrago já está feito.

Eu comprei o Box de Halo a uns dois anos, estava numa super promoção na Submarino e não resisti. Com o desafio dos marcadores, eu decidi colocar ele na minha TBR para lê-lo de uma vez e, confesso a vocês, se eu não tivesse todos os livros da série, não daria continuidade.



Halo não é ruim, o livro é bom! Mas quando leio um livro em que o personagem principal começa com uma missão, eu quero ver ele nessa missão, e a autora simplesmente focou 80% do livro no relacionamento da Beth com o Xavier. Eu entendo que a Beth estava descobrindo os sentimentos, mas em 450 páginas tinha espaço suficiente para dois. Mas levando em conta que a autora escreveu esse livro com apenas 17 anos e que sua narrativa é fluida e cheia de detalhes, vale muito a pena lê-lo.

Quanto a parte técnica, as capas da séries são lindas! Acho que são as capas mais lindas que tenho em minha estante! A diagramação da editora também está impecável, não encontrei erros de português, o que me deixa extasiada! 

Enfim, espero que vocês tenham gostado da resenha! Se já leram ou ouviram falar do livro, me contem ai nos comentários! Beijos da Luma ❤


[TOP 5] PERSONAGENS MAIS RICOS DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS


Todo final de ano nós, humanos, nos iludimos com a esperança de ganhar aquela bolada que é a mega sena da virada, afinal, embolsar alguns milhões é uma ótima forma de se começar o ano. Sendo assim, fazemos bolões, comemos lentilha, vestimos roupa de baixo verde e fazemos todos os tipos de crendice para arrematar essa bolada, mas mesmo assim o universo seleciona apenas poucos para começarem o ano novo planejando uma viagem para Paris.

Dito isso, para alimentarmos ainda mais nossa inveja, resolvemos selecionar os 5 personagens das histórias em quadrinhos que acreditamos ser os mais podres de ricos para continuarmos com essa ilusão de que, um dia, o anjinho da loteria vai nos agraciar. Vamos lá?

LEX LUTHOR

Dono de uma das carecas mais brilhantes dos quadrinhos e talvez o inimigo mais conhecido do Superman, eternizado nas telonas por Gene Hackman, Lex é dono da LexCorp, uma empresa fictícia multibilionária e uma das maiores do Universo DC Comics.

Só a partir disso já poderíamos dizer que Lex merece um lugar na lista, mas se contarmos ainda com sua caçada incansável por um artifício que o auxilie a exterminar o Superman – um dos heróis mais próximos do invencível -, percebemos o quão rico Lex é: são milhões gastos em pesquisas, tecnologias avançadas, robôs gigantes e todas as artimanhas possíveis para que ele possa alcançar a única coisa que realmente lhe dá gosto na vida. Lex já foi citado mais de uma vez na Forbes Fictional 15, uma lista mantida pela revista anualmente que enumera os personagens fictícios mais ricos da história, com uma fortuna estimada em U$10.1 bilhões.


BRUCE WAYNE (BATMAN)

Quando não está chutando bundas durante a madrugada de Gotham City como um vigilante encapuzado, Bruce Wayne está administrando, junto aos seus fiéis assistentes, a empresa que herdou de seus pais.

Diferentemente da LexCorp, a Wayne Enterprises busca um desenvolvimento diversificado e sustentável com o mínimo de dano ao meio ambiente, enquanto ainda servindo como fonte de lucro para Bruce e de seus gastos como Batman, que não são poucos. São tantas divisões na empresa, como Aeroespacial, Tecnologia, Alimentos, Construção Civil, Metalurgia e etc que permitem que Wayne esteja em quase todos os campos do mercado, ao mesmo tempo em que servem como fachada quando Bruce resolve encomendar milhares de uma mesma peça ou até mesmo tanques militares e avião personalizados.

Sua fortuna, estimada por uma pesquisa da Centives, é de aproximadamente U$23.22 bilhões, o que aliada à sua inteligência o transforma em um dos personagens mais preparados das histórias em quadrinhos.



T’CHALLA (PANTERA NEGRA)

Ser o soberano de um país já lhe concede poderes e um domínio fora do comum (pode perguntar ao Doutor Destino), mas, além disso, ser o único detentor das únicas reservas do mineral mais caro do mundo fazem com que sua riqueza extrapole o limite do comum.

O príncipe T’challa é o protetor do reino fictício de Wakanda, na África do universo Marvel, e somente dentro do território de seu país que se encontra o mineral Vibranium, o mais raro do planeta. O Vibranium é um material com propriedades únicas, pois é isolante e não condutor, como a maioria dos metais. Dessa forma, o mesmo é capaz de absorver energia de forma singular, e é um dos principais materiais que foram utilizados para se forjar o escudo do Capitão América.

Logo, sendo o possuidor da única fonte conhecida do material faz com que T’challa tenha uma fortuna que chegue a ser estimada em até U$500 bilhões.



AQUAMAN/NAMOR

Imagine que você é um multimilionário ou multibilionário por um momento: você tem quantidades exorbitantes de dinheiro, no caso dos anteriores dessa lista devido às suas empresas e multinacionais, e que tem uma margem de lucro altíssima. Contudo, você teve que construir sua empresa (ou herdá-la), e necessita de capital para fazer o negócio girar, não é?

Agora, imagine que você é dono de um vasto território de riquezas naturais, e que todas as riquezas artificiais que caiam dentro do seu território sejam suas também: esse é o caso tanto de Aquaman, quanto de Namor. Os senhores dos mares das editoras Dc e Marvel, respectivamente, têm todos os oceanos da Terra a seu dispor para extrair suas riquezas, sejam elas pérolas e minerais preciosos, tesouros de piratas enterrados no fundo do mar e até petróleo – mas não acredito que você verá um dos dois comandando a indústria petroleira.

Dessa forma, não dá para mensurar a riqueza que esses dois podem ter a seu dispor (caso desejem) tamanha a proporção que ela pode ter, os colocando em segundo lugar dessa lista.


TIO PATINHAS

Pode acreditar. Dono de montanhas e montanhas de moedas de ouro armazenadas em galpões-cofres, o pato mais rico e recluso do mundo é considerado o personagem dos quadrinhos mais rico também. A Forbes, em suas pesquisas, sempre coloca o personagem em suas listas dos mais ricos, mas nunca exteriorizou o cálculo que fez para chegar ao montante, fazendo apenas uma estimativa do valor real.

Contudo, um Redditor resolveu fazer o cálculo baseado nas histórias do pato e os valores são de assustar. A conta envolve, basicamente, notar que o dinheiro contido dentro do galpão do Tio Patinhas não é a sua fortuna total, já que ele é um empresário e dono de várias propriedades e ações no mercado.

Além disso, ele fez um cálculo básico baseado nas dimensões do galpão ditas pelo próprio Carl Barks (um dos criadores do personagem), que são de “três acres cúbicos” de dinheiro de volume, e uma profundidade de 100 pés, aproximadamente 30 metros, chegando ao valor de cair o queixo de U$1.93 trilhões contidos apenas dentro do cofre! Isso é muita moeda para pouco pato.

Visto que a riqueza do nosso pato querido está claramente acima dos demais da lista, ele conquistou o direito de pegar o primeiro lugar só para si, e foi de lavada.


Resta agora só esperar que a gente seja adotado por algum milionário qualquer por aí, não é mesmo?

Não concordou com a lista? Acha que faltou alguém importante? Comenta aí!


 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!