RESENHA: BAÍA DA ESPERANÇA - JOJO MOYES

Título: Baía da Esperança
Título Original: Silver Bay
Autor (a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 301
Ano: 2016
Adicione: Skoob
Compre: AmazonCulturaSaraivaTravessa

Classificação: 5/5

Liza nunca conseguiu fugir do passado. Mas nas praias paradisíacas da encantadora comunidade de Silver Bay ela ao menos encontrou a liberdade e a segurança que procurava se não para ela, para sua filha pequena, Hannah, até que Mike Dormer se hospeda no hotel que Liza administra com a tia.
Um perfeito cavalheiro inglês, com roupas elegantes e olhar sério, Mike pode significar o fim de tudo que Liza trabalhou arduamente para proteger: não apenas o negócio da família e o lugar que tanto gosta, mas principalmente a convicção de que ela nunca amaria nem seria digna de amor outra vez.


Mike é um jovem empreendedor que só tem uma ambição na vida: agradar seu sogro para se tornar seu sucessor na empresa. E para isso, ele precisa viajar para Austrália, mais especificamente, para Silver Bay, uma pequena cidade que tira seu maior sustento da observação de baleias e golfinhos, onde precisa realizar uma pesquisa acerca da construção de um luxuoso resort que a empresa pretende construir. Então sem pensar duas vezes, ele deixar sua futura esposa em Londres cuidando dos preparativos do casamento e viaja para cumprir seu objetivo, achando que tudo vai ser fácil e rápido, já que seu interesse é puramente profissional, ou melhor, puramente financeiro.

Ele se hospeda em um pequeno hotel caindo aos pedaços, o Baía da Esperança, que é próximo ao local em que sua empresa pretende construir o resort e começa seus trabalhos, investigando tudo o que pode. Porém aos poucos Mike vai conhecendo a cidade, suas historias e principalmente o interesse que os habitantes tem pela vida marinha, ele também vai conhecendo mais a historia de Kathleen, a dona do hotel em que está hospedado, Liza, sua estranha e misteriosa sobrinha, e Hannah, filha de Liza, uma garota animada, mas cheia de segredos, e podemos perceber que sua visão e seus valores vão mudando.
“Observe o mar por tempo suficiente, seus humores e suas exaltações, suas belezas e seus terrores, e você terá todas as histórias de que precisa, de amor e perigo e daquilo que a vida nos traz em suas redes. E do fato de que às vezes não somos nós que estamos no no leme, e não podemos fazer mais do que confiar em que tudo vai dar certo”
A verdade é que Mike é um homem sem muita experiencia na vida. Ele nunca encontrou algo que realmente gostasse, que lhe desse prazer, nunca se tornou parte de algo, mas naquele hotel caindo aos pedaços, sentando na noite fria todas as noites com todos os baleeiros (um detalhe importante: lá eles não pescam baleias, apenas as observam, mas também são chamados assim) enquanto conversam besteiras, Mike se sente em casa.

Liza é uma jovem mãe solteira que traz um passado perturbador e misterioso desde que fugiu de Londres com Hannah ainda pequena. Por causa do seu trauma,  ela é cheia de cuidados com sua filha Hannah, tantos cuidados que a menina é proibida de se aproximar do mar, enquanto ela se esconde do mundo em seu barco, ela sentia-se em paz em meio àqueles animais (baileias e golfinhos). Mas sua vida vira de cabeça para baixo com a chegada de Mike, primeiro porque pela primeira vez em muitos anos, Liza sente seu coração acelerar por alguém e ela tem medo da felicidade. E também porque um grande resort está prestes a ser construído bem no ao lado do hotel de sua tia, e além de ameaçar a vida dos animais marinhos, tirar o sossego da cidade, ainda iria falir o pequeno hotel e poria sua vida em risco outra vez.


Liza não podia deixar isso acontecer, ela não queria ter que se mudar com sua filha, deixar sua tia para trás e e ter que recomeçar mais uma vez, porque ainda nem tinha se acostumado a nova vida. E quando ela acha que nada pode piorar,  ela descobre que Mike está por trás de todo esse pesadelo e que ele está prestes a se casar.

Baía da Esperança é o quinto livro de Jojo Moyes que li (leia aqui as resenhas de: Como Eu era Antes de Você, A Última Carta de Amor, Depois de Você, Um mais Um), e posso dizer que a cada novo título que tenho o prazer de conhecer, fico ainda mais admirada com o talento e criatividade da autora, e ainda mais ansiosa para ler todos os seus livros. Vou aproveitar e agradecer ao namorado mais lindo do mundo por ter me dado esse livro e todos os outros livros da autora lançados no Brasil!
E é isso que amo nelas: apensar do poder, da força muscular, da aparência assustadora, as baleias são um das criaturas mais benignas de todas.
Mas voltando ao livro, tenho que dizer: esse livro despertou todos os sentimentos possíveis em mim, principalmente a insonia. Calma, vou explicar bem direitinho para vocês. A Jojo nos trouxe um livro que vai muito além do romance, ele mexe com nossa consciência, principalmente se você gosta de animais, o tempo inteiro eu me fiz a pergunta: até que ponto nós, humanos, vamos em busca do dinheiro? A Jojo nos apresenta um pequeno paraíso, onde é possível passear de barco e ver vários golfinhos e baleias, mas o local pode ser destruído, porque querem construir um grande resort de luxo, onde a pratica de esportes aquáticos podem até matar os pobres animais e nos faz pensar: porque? 

Além disso tudo, o livro é narrado por vários personagens diferentes, o que nos dá o ponto de vista de cada um e deixa o livro ainda mais interessante. Não preciso nem falar muito da escrita da autora né? A Jojo é simplesmente sensacional quando se trata de escrever uma história, sua narrativa é fluída, envolvente e emocionante. Quando o passado da Liza é revelado, gente, eu queria poder abraçar a personagem e dizer: tudo vai ficar bem. Também queria muito abraçar a Hannah, porque foi difícil ver uma garotinha na situação dela. O livro me fez rir, suspirar, ter raiva, refletir e chorar, claro, né? Tem algum livro dessa mulher em que eu não vá chorar? Sobre a insonia, é porque li o livro em dois dias, uma noite eu simplesmente sonhei a noite inteira com os personagens, e na outra eu só consegui dormir quando acabei o livro, e isso foi as 5 da manhã. 


Enfim, Baía da Esperança é o livro que eu queria poder fazer todo mundo ler. Ele é sensacional e aposto que ninguém vá se arrepender com leitura! E sabem o que é melhor? A Jojo realmente passou alguns meses em Silver Bay, conversou com os observadores de baleia, buscou entender o sentimentos deles com o bar e, por fim, escreveu o livro e nos transmitiu os mesmos sentimentos em alguns dos seus personagens!


“Tenho absoluta certeza de que eu jamais poderia ser descrita como ‘alegre’, mas Kathleen uma vez me disse desconfiar de que eu me sentia tão ligada às baleias porque eram criaturas solitárias. Não há tal ligação entre baleia macho e fêmea – pelo menos duradoura, de qualquer modo. O macho não desempenha qualquer função paterna, por assim dizer. Ela não acrescentou que as fêmeas não são monogâmicas – àquela altura, não era necessário -, mas mães admiráveis. Vi uma corcunda correr o risco de encalhar para aninhar o filhote. Ouvi os cantos de amor e perda romperem o silêncio das partes mais profundas do mar, e chorei com eles. Nesses cantos, a gente ouve toda a alegria e dor de qualquer mãe fascinada pelo coração do bebê.”





 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!