RESENHA: A ÚLTIMA CARTA DE AMOR - JOJO MOYES

Título: A Última Carta de Amor
Título Original: The Last Letter From Your Love
Autor(a): Jojo Moyes
Páginas: 384 
Editora: Intrínseca 
Ano: 2016
Adicione: Skoob
Compre: SaraivaSubmarinoAmazon
Classificação: 4,5/5
Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento. Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico




Depois de ter lido Como Eu Era Antes de Você e Um Mais Um da Jojo Moyes, eu decidi que leria tudo e qualquer coisa dessa autora maravilhosa. Mas quando ganhei A Última Carta de Amor no dia dos namorados - meu namorado é um lindo, não é? - ainda não tinha superado Depois de Você e precisei de um tempo. 

Recentemente, comecei um desafio literário que encontrei em alguns marcadores da Livraria Cultura e o coloquei na lista, porque queria lê-lo de uma vez por todas, mesmo sabendo que sairia dessa história com o coração destruído, e olha só, eu estava certa. Ainda estou colando os caquinhos do meu coração depois dessa leitura. 

O livro une a narrativa de duas mulheres: a Jeniffer, uma esposa troféu da década de 60 e a de Ellie, uma renomada jornalista dos dias de hoje. E o que elas têm em comum? Ambas vivem um relacionamento extraconjugal!

"(...) saiba ao menos isso: em algum lugar deste mundo há um homem que a ama, que entende quão preciosa e inteligente e boa você é. Um homem que sempre a amou e que, por mais que tente evitar, desconfia que sempre a amará." (Pág. 226)

Ellie está namorando com um homem casado a quase um ano e as coisas começam a sair do controle, por ela viver pensando no namorado, em qual futuro eles terão juntos ou quando ele deixará a esposa. E graças a isso, seu emprego está por um fio. Ela precisa batalhar por uma boa matéria para convencer a editora-chefe de que ainda é uma boa jornalista, é quando ela encontra uma carta de amor de décadas atrás endereçada uma caixa postal em Londres 

Intrigada com essa carta, Ellie começa a investigar a vida de Jennifer e buscar indícios de que ela e o grande amor de sua vida tiveram um final feliz, mesmo o relacionamento sendo fruto de uma traição, porque ela vê nas cartas a possibilidade de resolver sua própria vida e encontrar um motivo para justificar o amor que tem vivido. E enquanto ela tenta descobrir mais sobre o que aconteceu, a Jojo nos faz mergulhar numa narrativa de amor da década de 60. 

Jennifer é uma mulher bem casada, vista como esposa troféu de um dos empresários mais famosos da Londres de 1960, mas se apaixona perdidamente por outro homem e começa um relacionamento com o mesmo. Por um longo tempo essa paixão manteve-se através de cartas de amor trocadas secretamente, mas tudo muda quando Jennifer sofre um acidente e perde a memória, não se lembrando mais desse grande amor. 



Para que você compreenda melhor tudo o que aconteceu, a Jojo dividiu a narrativa de Jeniffer em duas, quando ela conheceu o seu verdadeiro amor e quando ela perdeu a memória, onde ela tenta juntar toda as peças do quebra-cabeça e descobrir quem ele é. 

Uma das coisas que mais gostei no livro são as idas e vindas, que dão um enorme mistério ao livro. Você fica se perguntando: quem é o amante da Jennifer? O que a Ellie vai fazer? 

Achei a leitura instigante e fluida. Pude sentir o amor descrito, torcer por ele, e me emocionar com as dores, perdas e com o processo de superação vivenciado por essas duas protagonistas. 

“Goste dele, se precisar, meu amor, mas não o ame. Por favor, não o ame.” (Pág. 99)

A Jennifer é uma personagem forte, encantadora e exemplo de independência feminina. Enquanto a Ellie é insegura e perdida, mas guerreira o suficiente para enfrentar seus medos e lutar pelo futuro. Ambas fazem escolhas erradas, magoam pessoas ao seu redor, e escolhem amores impossíveis, mas por isso elas crescem e amadurecem como mulheres. E o processo de amadurecimento delas é maravilhoso. 

O que posso dizer sobre A Última Carta de Amor é: o livro é uma história sobre o amor, sobre traição, preconceito social, disparidade financeira, divórcio, independência feminina, o significado do casamento, da paixão e do tipo de amor capaz de durar décadas.


 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!