EU ASSISTI: BEAUTY AND TE BEAST (A BELA E A FERA)



Geralmente ao falar de um filme que eu assisti, eu costumo começar pela trama e falando sobre os personagens, mas por se tratar de A Bela e a Fera, não julgo isso necessário. Porque duvido muito que exista alguém que nunca tenha ouvido falar, lido ou assistido desse clássico conto de 1740 ou da animação lançada em 1991. E se você não sabe do que estamos falando, preciso perguntar: você é desde mundo?



O live action de A Bela e Fera chegou aos cinemas no dia 16 de março e o filme está praticamente idêntico a animação. Apesar de muitas pessoas não terem gostado disso, eu, como fã da versão original do filme, simplesmente saí do cinema maravilhada. O longa ganhou 45 minutos a mais que a animação original e por isso nos trouxe novas sub-tramas e algumas mudanças nos personagens, que nos deu um contexto mais claro das coisas, como por exemplo: A explicação do porque o Príncipe (Dan Stevens) se tornou uma Fera, e o porquê dele merecer aquela transformação, na necessidade que os servos tinham em tomar conta dele e porque aceitavam o seu “destino”, o que de fato aconteceu com a mãe da Bela, e a melhor mudança de todas em minha opinião, a sexualidade do LeFou. 


O Josh Gad, que interpretou o LeFou, parecia ter o timing perfeito com o personagem. Ele foi um dos melhores alívios cômicos do filme inteiro. Eu e Pedro (meu namorado) gargalhávamos de rir em suas cenas e principalmente na cena de “Gaston”, música cantada no bar para animar o seu amigo. A cena foi muito parecida com a original, tendo algumas mudanças na música que só fizeram aumentar a comedia da cena. 

Falando um pouco sobre a atuação dos interpretes, achei sinceramente que o filme ficou maravilhoso. A Emma Watson como Bela (ou Belle) estava muito fiel a animação original, fazendo uma atuação digna do papel que lhe foi dado; também gostei muito da escolha de Dan Stevens como Fera, e o fato dele ter usado uma roupa muito pesada durante a maior parte do filme não pareceu interferir; Luke Evans, em minha opinião, fez o retrato perfeito do Gaston, sendo um personagem egocêntrico e arrogante e estando muito fiel a versão original, fazendo um dos personagens mais engraçados do filme, mesmo sendo o “vilão”. 


Quanto aos personagens secundários, principalmente aos servos da casa, só posso dizer que amei as escolhas para os dubladores, Ian McKellen, que interpretava o Cogsworth, e o Ewan McGregor, que interpretava o Lumière, se destacaram em suas cenas, também servindo de alivio cômico para o filme. E ao final, ficamos muito surpresos em ver que o Magneto e o Obi-Wan Kenobi que dublavam eles dois. Sem deixar de fora os outros dubladores que estavam impecáveis! 

Sobre as músicas contadas no filme, sou suspeita em falar, porque simplesmente sou apaixonada pela trilha sonora da animação. A maioria das canções e cenas em que eram cantadas estavam praticamente idênticas a versão original. Achei que a Emma Watson cantou maravilhosamente bem para uma atriz e, ao contrário do que li de muitas pessoas, não achei as partes das músicas entediantes, até porque eu sabia que o filme era um musical e que nesses filmes é constante as cenas cantadas. Minha única ressalva foi que achei a cena de “Be our Guest”, em que os servos cantam para Bela, um pouco prolongada, apesar de ter achado a cena em si muito mais bonita que a do desenho. Quanto ao resto das músicas, só posso dizer que estou a dois dias ouvindo-as e cantando-as o tempo inteiro.

O filme me arrancou gargalhadas, suspiros e lágrimas, me invadindo de nostalgia. Espero que tenham gostado e confiram o trailer para ficarem com mais vontade de assistir!



 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!