RESENHA: A TEIA DO SONHOS - KARINE ARAGÃO

Título: A Teia dos Sonhos
Autora: Karine Aragão
Editora: Muiraquitã
Ano: 2016
Páginas: 160
Gênero: Drama
Classificação: ★★★★
Adicione: Skoob
Júlia e Laura são duas adolescentes, de 16 anos, que, para eternizar a forte amizade que as une, decidem tatuar uma Teia dos Sonhos em seus braços. A euforia pela tatuagem única, desenhada por Júlia, esvai-se no dia seguinte, quando ela recebe a notícia de que Laura suicidara-se na noite anterior, atirando-se da janela do 13º andar. Júlia vê seus dias tomados pelo caos, em um misto de saudade e de raiva, sem saber os motivos que levaram Laura a tirar a própria vida. Júlia, então, embarca em uma busca que a leva a perceber os fantasmas que invadiram a cabeça de Laura e a refletir sobre sua própria vida. No meio de todo esse turbilhão, a presença de Bernardo representa a dúvida se o amor pode mesmo ser mais forte do que uma grande mentira.
LIVRO CEDIDO PELA AUTORA 


Júlia é uma menina tímida e reservada, enquanto Laura é animada e extrovertida. As duas percebem que se completam e se tornam melhores amigas. Elas costumam compartilhar tudo uma com a outra, inclusive que são apaixonadas pelo mesmo menino, o Bernardo.

As duas haviam decidido que a amizade delas é muito mais importante do que uma paixonite por um garoto, então não deixam aquilo atrapalhar. Nem mesmo quando em uma tarde no colégio, o Bernardo chama a Laura para conversar em particular.
“(....) Mas e no presente? O que temos no presente? O que nos deixa com vontade de acordar, de sermos felizes? O que fazemos por prazer e não por obrigação? Quando somos adolescentes, ninguém nos pergunta sobre isso.... Parece que somos induzidos a só refletir sobre o futuro...”
Apesar de sentir-se mal e enciumada, Júlia incentiva Laura a ficar com Bernardo. E mesmo alguns dias depois, as duas vão até um Studio de tatuagem para marcarem a pele em homenagem aos cinco anos de amizade. Amizade essa que levarão para sempre em suas vidas.

Acontece que nem tudo ia bem, já que na manhã seguinte, Júlia acorda com uma triste noticia dada por sua mãe: Laura havia se jogado do décimo terceiro andar do prédio onde morava.



O livro é narrado pelo ponto de vista da Júlia, o que nos faz sentir as mesmas emoções e incompreensões que ela. Ao decorrer do livro, vemos como ela fica desolada com aquilo e tenta a todo custo encontrar os motivos que fizeram à amiga se matar sem nem mesmo conversar com ela, até que decide entender o que aconteceu e começa a investigar os motivos, contando com a ajuda de ninguém menos que Bernando.

Eu gostei muito do livro, porque toda a situação me fez refletir bastante. E não é apenas um livro que fala sobre suicídio, é um livro que fala sobre amizade e amor. Gostei muito da forma que a mãe da Júlia parece entender que naquele momento ela precisa mudar para dar apoio a filha e como o faz.
“Eu vou sentir eternamente sua falta, e essa é uma dor que vou ter que aprender a carregar no meu coração. Não sei se é maior ou menor que a dor que você passava, mas a minha decisão é não dar um fim a ela se, pra isso, for preciso dar um fim a minha vida. Eu escolho viver porque só em vida posso ir resolvendo os meus problemas e procurando momentos felizes que façam tudo valer a pena. Só enquanto estamos vivos podemos correr, pular, estudar, beijar, abraçar, dizer eu te amo, sentir a barriga doer de tanto rir...”
A princípio, eu detestei o final do livro, mas depois compreendi o que a autora quis nos passar. Então consegui apreciar ainda mais o livro. 
Sobre a edição do livro, simplesmente está sensacional. Não encontrei erro de português, os capítulos são divididos por fotos que representam o momento ou a amizade das duas, a narrativa é fluita e emocionante. Sem contar que o livro é recheado por músicas de uma banda que sou apaixonada: Onze20.

Durante a leitura desse livro, eu não parava de pensar em O Último Adeus, que li recentemente e ainda reflito sobre a leitura do livro. Vale a pena dar uma conferida na resenha também. Mas uma dica é: Não leia os dois livros um atrás do outro, acho que seu coração não vai aguentar assim como o meu não aguentou.


Por fim, quero agradecer a Karine pela confiança no blog e pela oportunidade de ler esse livro tão incrível. Obrigado por compartilhar com nós – leitores – a história da Júlia e da Laura. Amei sua escrita e estou ansiosa por seus próximos livros.
"A vida é sempre a melhor escolha."



 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!