MAUS - ART SPIEGELMAN

Título: Maus
Autor: Art Spiegelman
Páginas: 295
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2009
Adicione: Skoob


Maus, rato, em alemão, é a história de Vladek Spiegelman, judeu-polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art. O livro é considerado um clássico contemporâneo das histórias em quadrinhos. Foi publicado em duas partes, a primeira em 1986 e a segunda em 1991. No ano seguinte, Maus ganhou o prestigioso Prêmio Pulitzer de Literatura. A obra é um sucesso estrondoso de público e de crítica. Desde que foi lançada, tem sido objeto de estudos e análises de especialistas de diversas áreas, artes, história, literatura e psicologia. Em nova tradução, o livro é agora relançado com as duas partes reunidas num só volume. Nas tiras, os judeus são desenhados como ratos e os nazistas ganham feições de gatos; poloneses não-judeus são porcos e americanos são cachorros. Esse recurso, aliado à ausência de cor dos quadrinhos, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto. Spiegelman, porém, evita o sentimentalismo e interrompe algumas vezes a narrativa para dar espaço a dúvidas e inquietações. É implacável com o protagonista, seu próprio pai, retratado como valoroso e destemido, mas também como sovina, racista e mesquinho. De vários pontos de vista, uma obra sem equivalente no universo dos quadrinhos e um relato histórico de valor inestimável.

Art Spiegelman é um ilustrador e cartunista que apesar de ter dito um relacionamento conturbado com seu pai, um judeu polonês sobrevivente do holocausto, resolveu contar a história do mesmo em quadrinhos. A história é contada de uma maneira bem diferente das outras sobre o mesmo tempo, pois além de ser um quadrinho, Art representa as pessoas como animais, judeus são ratos, nazistas são gatos, poloneses porcos e etc.

A narrativa pula do presente para o passado, mostrando Art e seu pai enquanto ele escreve e desenha, e nos flash back do pai, mostrando a história do mesmo desde o momento em que conheceu Anja (mãe de Art) até o final da segunda guerra. Na narrativa do presente, Art também demonstra como era complicado o seu relacionamento com o pai mesmo nos tempos atuais. 



Podemos perceber que Art tenta deixar o livro o mais real possível, se indagando várias vezes se estava fazendo a coisa certa, pois era uma história pessoal e pesada demais para ser contada em quadrinhos. Se aquilo que estava fazendo não era um sonho alto demais para alcançar. Graças a todo esse realismo, Maus ganhou o prêmio Pullitzer em 1992, um prêmio entregue apenas aos melhores trabalhos de jornalismo, e tendo sido entregue pela primeira vez a um graphic novel (quadrinho). 

Maus é um relato real, pessoal, trágico e impactante, que vem emocionando a todos que o lêem desde a sua primeira edição. O Holocausto é uma história que todos conhecemos, mas é contada de uma forma muito diferente nesse quadrinho e vale muito a pena ser lida. Ele foi publicado em 1980 e terminado em 1991, inicialmente dividido em três volumes, mas atualmente é vendido com a história completa em um único exemplar.


18 comentários:

  1. O livro é bastante interessante pela história ser em quadrinhos, o livro é realmente emocionante. A história desse judeu faz a gente chorar, é um livro que precisa ser lido pois conta um relato pessoal. A capa chama muito a atenção pela capa parece que é um livro de desenho mas na verdade conta uma história bem séria, bjs.

    ResponderExcluir
  2. adorei a resenha, o livro parece bastante interessante e tem muito haver com história, que eu adoro muito.
    se conseguir ter acesso ao livro muito provavelmente vou ler sim ;)

    beijinhoooos

    ResponderExcluir
  3. Sou fã assíduo de histórias que falam sobre períodos históricos da humanidade, principalmente sobre a crueldade do holocausto. Acredito que essa obra nos faça chorarmos menos - vide O Menino do Pijama Listrado - e nos faça refletirmos mais didaticamente e vermos o quanto podemos ser cruéis entre nós mesmos. Fiquei curioso!
    Abraços 😊

    ResponderExcluir
  4. Já quero!
    Sou amante da leitura, HQ e história da civilização, principalmente das guerras. Você nos trouxe uma leitura que reúne tudo isso e muito mais. Tens muito bom gosto moça, bjs.

    ResponderExcluir
  5. Olá Luma!Bem interessante esta história é realmente uma maneira bem diferente das outras,por ser em quadrinho é bem mais prazerosa e facilita a leitura.Bjss

    ResponderExcluir
  6. ola tudo bem ? o livro tem uma capa intrigante , historia em quadrinhos em um classico contemporaneo , tudo reunido em um só livro . Não conhecia o autor e nem a historia, já quero ler . Bjsss

    ResponderExcluir
  7. Oi tudo bem?
    Não leio muitas HQ mas já estou curiosa para ler essa afinal gosto de livros com premissas reais acredito que deixa a leitura ainda mais emocionante.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. No entanto, este é um caso verdadeiro, baseado em seu próprio relacionamento com seu pai, um sobrevivente do Holocausto que perdeu tudo durante a guerra. Uma tira de quadrinhos, sempre desenhada sobre os eventos do tempo. Foi uma manipulação como um arquivo, acho que na época não havia TV, e facilmente tonificado mostra caso em livros simples que muitos não conseguem entender pela sua origem real.

    ResponderExcluir
  9. Não conheço o livro, mas imagino o impacto que tem ao ser lido... O holocausto foi e será um dos episódios mais negros da história e da humanidade que deixou marcas em milhões de pessoas, nos que o viveram directamente e sobreviveram. Nos familiares que mesmo que tenham nascido mais tarde acabam por herdar esse triste legado...E na humanidade em geral.
    Vou procurar por cá, estou curiosa...

    ResponderExcluir
  10. Eu sou apaixonada por quadrinhos, mas infelizmente não conhecia ainda esse. Fiquei super interessada, pois o Holocausto é uma história triste e forte. Muito obrigada pela dica

    ResponderExcluir
  11. CARACA! Eu amei essa resenha, você escreve super bem e o seu blog é lindo demais! Não fazia ideia da existência desse livro e, de verdade, to querendo demais! Ele parece ser ótimo e super tranquilo de ler, fora essa capa maravilhosa, ne? Bjs

    ResponderExcluir
  12. Eu tenho esse livro e foi um dos mais tocantes sobre os anos de horror nazista que já li, só fica atrás de Operação Valquíria e A Lista de Schindler — A Verdadeira Historia. Vendo a Marcha Nazista esses dias nos USA, só me perguntei: como pode alguém querer que os tempos da Gestapo e os campos de concentração voltem? A humanidade assusta. Art soube como levar a história do pai para os quadrinhos e nos conquistar. Amei o post, beijos.

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Nunca tinha visto falar sobre o livro ou o autor, mas parece ser muito bom! Com sua resenha fiquei bastante curiosa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi Luma, tudo bem? Realmente o Holocausto é uma parte da história que todos conhecemos. Mas é sempre bom ter contato com a visão de outras pessoas que viveram essa experiência. Achei bem interessante o formato de quadrinhos, é algo que chama atenção. Gostei da ideia de juntarem as duas partes e transformarem numa obra só, acredito que fica melhor para ler. Ótima indicação. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  15. O Holocausto foi muito explorado na Segunda Guerra Mundial. Onde terminou com uma família inteira, um livro emocionante que lida com a realidade.Quem sabe eu venha ler o livro.

    ResponderExcluir
  16. Quero, quero, quero.
    Acredito que seria um maravilhoso começo para histórias em quadradinhos. Não costumo ler, mas este tema interessa-me imenso. Adoraria ler.
    BeijinhoBom

    ResponderExcluir
  17. Olá Luma, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas amei a indicação. Gosto muito de livros com histórias reais e por mais que algumas sejam dolorosas, nos ensinam bastante. Não tenho costume de ler quadrinhos, mas gosto de conhecer coisas novas, então fiquei muito curiosa. Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Que interessante esse livro, é bem intrigante a historia do holocausto contada em quadrinhos.
    Achei a capa bem bolada e gostei da ideia de contar a historia representando pessoas por animais.
    Não gosto muito desse tipo de leitura, mas com essa apresentação me deixou com vontade de ler o livro.
    Bjinhos,
    www.prosaamiga.com.br

    ResponderExcluir

 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!