RESENHA: O MARAVILHOSO AGORA - TIM THARP

Título: O maravilhoso agora
Autor: Tim Tharp
Páginas: 320
Editora: Galera Record

Gênero: Juvenil
Comprar: Saraiva  Submarino Cultura  Amazon
Adicione: Skoob


Sutter Kelly é O Cara, o rei das festas. Porém, diferente dos amigos adolescentes, não está preocupado com o futuro, está mais interessado em viver o agora. Com um 7Up batizado nas mãos ele está pronto para qualquer coisa. Mas nem tudo anda bem para ele. Vive discutindo com a mãe, o pai há anos não dá notícias, e sua namorada Cassidy lhe deu um pé na bunda. Mas, em meio a esse caos, a doce Aimee pode despertar Sutter para outra realidade. E, pela primeira vez, ele tem o poder de fazer a diferença na vida de alguém, ou de arruiná-la para sempre.

Comprei esse livro quando soube que a Shailene Woodley tinha feito o filme, confesso que passou tanto tempo que acabei não vendo o filme e o livro ficou em minha estante pegando poeira – mentira, limpo meus livros toda semana -, ano passado até tentei ler esse livro milhares de vezes, mas sempre tinha um imprevisto, então quando vi o desafio “um livro que você enrolou para ler em 2016” resolvi que iria ler. 

Na história somos apresentados a Sutter Keely, um jovem de 17 anos que não se preocupa com o amanhã. Ele faz o máximo para passar os dias se divertindo, bebendo seu Whisky com 7Up, buscando novas aventuras e se preocupando apenas em viver o maravilhoso agora

Sutter Keely, está sempre no centro das festas, ele é amigo de todos por ser um garoto engraçado e saber como se divertir. Mas apesar disso tudo, sua vida não essa maravilha toda que ele deixa transparecer. Ele odeia o padrasto e não tem nenhum respeito por ele, fazendo com que ele e a mãe briguem o tempo inteiro, não se dá bem com a irmã mais velha e a abomina por ter se casado por interesse, e sente uma falta enorme do pai, tanto que ele inventa uma mentira tão grande a respeito do pai que as vezes parece que até ele acredita naquilo. 

Mas ele sempre esquece disso colocando um sorriso no rosto, na companhia do melhor Rick e de Cassidy, sua namorada gostosa e levemente acima do peso, bebendo whisky e 7Up, e indo as melhores festas.... Pelo menos até ele armar um plano para arrumar uma namorada para o amigo e levar um pé na bunda por causa disso. Sem a companhia dos dois, a vida de Sutter tem uma grande mudança, ele começa a beber ainda mais e em uma bela madrugada ele acorda ao lado Aimee, uma colega de escola nada atraente e bem nerd. 

Sutter decide que ele vai dar um UP na vida de Aimee, torando a moça o seu projeto pessoal. Querendo-a ajudá-la a qualquer custo, eles se tornam amigos e ele começa a incentiva-la a assumir o controle da sua vida, ir em busca dos seus sonhos e deixar a timidez de lado. Aos poucos vamos percebendo que ele tem outras motivações além da amizade, ainda que ele não perceba. 

Ele tem um bom coração, mas é idiota quando se trata dos sentimentos dos outros. Muitas vezes ele é inconsequente em suas atitudes. Cassidy passou meses tentando fazê-lo respeitar seus sentimentos, ensina-lo a pensar nas outras pessoas antes de fazer algo. Ricky tentou, também sem sucesso, mostrar ao amigo que aquele estilo de vida não era necessariamente algo bom, apesar de divertido. 

Por isso todos se preocupam quando ele começa a namorar com Aimee. A menina vai mudando aos poucos, começando a beber, se tornando um pouco agressiva. Os dois juntos passam por altos e baixos, um tentando salvar o outro. 

O enredo é muito bom, a cada página eu queria ver o que iria acontecer, mas isso mudou drasticamente no final do livro. 

Esse é um daqueles tipos de livro que têm a intenção de mostrar a transição da adolescência para a vida adulta, levantar questões importantes e apontar certos caminhos de amadurecimento. E o autor ia muito bem no papel, mas isso mudou drasticamente ao final. 

O final do livro fica em aberto, as coisas simplesmente não são explicadas – e ao meu ver ainda tinha muita coisa a ser contada. Ficou parecendo que o autor chegou no meio da história e colocou o “the end”, eu realmente corri para a internet e pesquisei para ver se meu livro veio faltando umas 100 páginas. Depois de alguns dias, eu cheguei a reler o final. Sinceramente, ainda não aceitei aquilo como “final”, mas até que soa bem a cara do Sutter! 

Bom, por hoje é isso, meus amores!! Beijinhos e até amanhã.


Deixe sua opinião

 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!