[Filmes] Eu Assisti: Deadpool - Tim Miller


Deadpool: uma review com o esforço máximo de não conter spoilers

No final do ano passado eu conversava com amigos em uma mesa de RPG, quando me dei conta de que o filme Deadpool estava para estrear, com release na valentine’s day weekend de lá da terra do Obama. Com o tumulto que a estreia do episódio VII de Star Wars causou no coração dos nerds, muitos (como eu) se passaram das estreias seguintes, ainda anestesiados pela sensação de poder ver um filme da saga na telona.

Vou confessar a vocês duas coisas: primeiro, que apesar de ser fã de quadrinhos e do mundo geek, nunca havia lido muitos dos títulos do merc with a mouth, e acredito eu que muitos se encontravam na mesma situação que eu. Embora conhecesse seu humor cáustico e suas piadas infames de todos os cantos da internet, e também de histórias como “Deadpool mata o universo Marvel”, minha leitura do personagem tinha se resumido a alguns encadernados e one shots. Então meu hype não era dos maiores.

Segundo, que sempre achei o personagem “galhofa” demais. Nunca gostei de personagens que fossem overpower ao extremo, e Deadpool sempre foi o epítome desse tipo de personagem (ao ser basicamente imortal), seguindo por uma veia cômica. Talvez por isso, e pelo fato dele não ser um personagem sério, que eu não tenha me sentido atraído pelo filme como outros de meus amigos ficaram.


Tendo isso em mente, eu a e Sra. Luma caminhamos para a fila da pré-estreia no dia 10 de fevereiro sem criar muitas expectativas para o filme. E como eu estava errado.

O filme está ali não para te intrigar com um mistério ou te fazer pensar demais, e sim para ser um reflexo da natureza do próprio personagem: uma mistura de gore, ação e muita, muita comédia. Apesar de seu plot ser relativamente superficial, Deadpool consegue entreter ao conseguir mesclar perfeitamente o dinamismo do combate com as piadas e a quebra da quarta parede, típicos do próprio personagem, em atitude corajosa do roteirista e do estúdio (e que os outros tomem notas).

Mesmo outros estúdios já tendo adaptado HQs rated R para o cinema, como Watchmen e Justiceiro, ou terem feito obras que se aproximam demais do que geralmente o público pede, como O cavaleiro das trevas, acredito eu que em nenhum desses filmes os espectadores foram tão atendidos como em Deadpool, ainda mais partindo de um estúdio como a Fox que estragou franquias como Wolverine e Quarteto Fantástico. Todos ficaram receosos quanto a uma nova adaptação do personagem visto a sua representação pela mesma Fox em Xmen Origins: Wolverine (e pelo mesmo Ryan Reinolds, que volta impecável), ainda mais com um orçamento relativamente baixo ($50 milhões), mas só os seus números de bilheteria em seu fim de semana de estreia já mostram que o filme e a franquia veio pra ficar, e melhor, agradou demais fãs antigos e novos (eu).

É difícil estender a fala sem dar maiores spoilers, mas se você, leitor que não é tão fã do personagem, como eu, me perguntar “O que esperar?” do filme, eu lhe digo que vá e aproveite a experiência de sentar para assistir um filme de super-herói, rir do início ao fim, e ainda sair com a sensação de que o filme lhe envolveu o suficiente para deixar um gosto de quero mais. E para você, leitor que é fã de carteirinha de Deadpool, eu digo que vá, pois você vai se sentir vingado pelo que a Fox já tinha feito, e vai sair de lá com a sensação de que o dever foi cumprido.


 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!