[Livros] Resenha: Garoto encontra Garoto - David Levithan

Autor: David Levithan
Editora: Galera
Paginas: 240
Sinopse: Paul estuda em uma escola nada convencional. Líderes de torcida andam de moto, a rainha do baile é uma quarterback drag-queen, e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultra religiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola e, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah.

Resenha: Garoto encontra Garoto foi o livro de estreia de David Levithan, que foi lançado em 2004 e só agora, dez anos depois ele foi lançado aqui no Brasil. 

Ao que percebi ao longo do livro é que ele é um clichê de comedia romântica. Onde o garoto encontra a garota, o garoto perde a garota e no fim eles ficam juntos outra vez. Apenas com uma diferença. Nesse livro é um garoto que encontra outro garoto. 

"E eu sei enquanto falo que ele não é "só um cara". Houve alguma coisa em nossos dois minutos juntos que fez parecer que eles poderiam virar anos"

Paul é um adolescente como outro qualquer, ele tem um grupo de amigos composto por Tony, um garoto gay, não assumido, que tem pais conservadores. Infinite Darlene, uma drag queen que é ao mesmo tempo, quaterback do time de futebol e rainha do baile da escola. Joni, sua melhor amiga heterossexual. E Ted, ex-namorado de Joni. Durante um show de uma livraria, Paul conhece Noah. É como uma paixão à primeira vista e é aí que a história começa. 


Paul se descobre apaixonando por Noah, que é novo na cidade, novo na escola e ainda sofre por causa do seu antigo amor. Depois que consegue conquistar Noah e os dois começam a namorar, Paul tem que lidar com alguns obstáculos em seu caminho. Primeiro tem que lidar com Kyle, seu ex-namorado que não sabe se heterossexual ou não, se não está apaixonado ou não por Paul. Joni que está namorando com um babaca e se afastando de todos por causa disso. Tony que tem que lidar com seus pais que descobriram que ele era gay. Ted que está sofrendo por Joni está com outro. Infinite Darlene e sua briga com sua ex-melhor amigo. E ainda com tudo isso, ele tem que organizar o baile de formatura da escola. 

"Eu não acredito em abraços parciais. Não consigo suportar gente que tenta abraçar sem se tocar. Um abraço deve ser completo; enquanto passo os braços ao redor dele não estou apenas abraçando-o, mas também afastando os problemas por um tempo, para que a única coisa que ele consiga sentir seja meu apoio."

Além de tudo, a cidade onde eles moram é um tanto quanto utópica. Onde a minoria é a maioria. Onde você primeiro pensa ser homossexual e só depois se descobre heterossexual. Onde Mcdonalds vão a falência e lanchonetes vegetarianas, bibliotecas onde acontecem shows e todas essas coisas. Uma cidade que todos gostariam de ter só pelo fato de não existe o preconceito. 

Como eu disse é uma típico comedia-romântico clichê. Mas os personagens e a narrativa de Lavithan faz a leitura fluir. Faz você rir e até se emocionar um pouco com a história dos personagens. 


"Quando ele vai embora sinto sua falta. Sei que vou sentir sua falta pelo resto do dia."

Espero que tenham gostado. Beijos, até a próxima.

 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!