[LIVROS] RESENHA - STAR WARS: A MISSÃO DO CONTRABANDISTA

Título: Star Wars: A Missão do Contrabandista
Autor(a): Greg Rucka
Ilustrações: Phil Noto
Tradução: André Czarnobai
Editora: Seguinte
Edição: 2015 (1ª)
Ano da obra / Copyright: 2015
Páginas: 200
Skoob: Adicione

Nesta história, que se passa entre Uma nova esperança (episódio IV) e O Império contra-ataca (episódio V), Han e Chewie precisam pilotar a Millennium Falcon numa missão ultrassecreta da Aliança Rebelde. Mas é claro que não será nada simples: na sua cola estão cruéis caçadores de recompensas e uma implacável oficial do Império. Nesta série, você encontrará aventuras inéditas de seus personagens favoritos, além de algumas caras novas. Mas leia com atenção! Há pistas escondidas nas páginas dos livros, que vão lhe dar dicas preciosas sobre o episódio VII, O despertar da Força!

Com a compra de Star Wars pela Disney em 2012, o chamado Universo Expandido, conjunto de obras da franquia fora dos filmes que buscavam ampliar as aventuras já conhecidas por todos, sofreu um reboot e todos os seus livros, jogos e quadrinhos foram inclusos no novo Star Wars Legends, segmento que não seria mais canônico e que permitiria que a empresa desenvolvesse novas histórias. Dessa forma, criou-se automaticamente um vácuo de obras literárias canônicas, encerrando 38 anos de continuidade estabelecida pelo Universo Expandido, e deixando os fãs apreensivos quanto aos materiais novos que seriam publicados pela nova direção.

A empresa do Mickey Mouse cumpriu o que prometera, e anunciou uma nova leva de livros que buscaram firmar essa nova linha temporal com qualidade, e entre eles está A missão do contrabandista: Uma aventura de Han Solo e Chewbacca, escrito por Greg Rucka, conhecido por seu trabalho com a DC Comics e por suas obras Atticus Kodiak e Queen & Country, esta última ganhadora do prêmio Eisner (uma recomendação: Batman: Terra de Ninguém).

A missão do contrabandista faz parte da série Jornada para Star Wars: O Despertar da Força, e nos apresenta uma história fresquinha de Han e seu companheiro peludo das florestas de Kashyyyk que se passa entre Uma Nova Esperança e O Império Contra-Ataca, com a intenção de atiçar a curiosidade daqueles que esperavam ansiosos pela chegada do Episódio VII e dar pistas sobre o novo filme que ainda não tinha chegado à época. 


O livro começa em um bar localizado em algum lugar da galáxia chamado Serendipidade, onde nos é apresentado um grupo de três mercenários que discutem as características que formariam a nave perfeita, sejam elas velocidade, defesa ou controle. Os três debatem sobre naves que seriam boas em cada uma delas, mas chegam a conclusão de que só uma nave reunia todas essas qualidades: a Millenium Falcon. Então, um velho que bebia no balcão e ouvira toda a conversa se aproxima e começa a lhes contar uma lenda sobre a nave mais rápida da galáxia.

Assim como Alvo em movimento e A arma de um jedi (outros livros da série), a aventura é narrada em forma de flashback, e mostra Han e Chewie sendo contratados pela princesa Leia para resgatar o líder dos Picanços, organização da Aliança para restaurar a República que tinha como objetivo identificar potenciais novas localizações para bases rebeldes. Este líder, identificado como Emmat (mais tarde revelado como Caluan Emmat em Alvo em Movimento), prosseguia com o grupo pela região do planeta Tanaab quando foi emboscado por agentes do Imperial Security Bureau, conseguindo escapar por pouco, porém sem conseguir impedir que o restante de sua tripulação fosse sacrificada, e era a missão de Han (não sem reclamar) viajar até o planeta de Cyrkon na Orla Exterior para resgatá-lo antes que o Império chegasse primeiro.

O enredo se desenvolve em uma narrativa envolvente, rápida e bem compactada do resgate de Emmat no planeta venenoso de Cyrkon com direito à caçadores de recompensa e bares voadores, uma vilã altamente autoritária e narcisista com um olho biônico, além de cenas de ação no espaço com a Falcon que são dignas da nave que viria a se tornar uma lenda. Greg Rucka escreve os personagens de uma maneira tão leve e natural, e os captura com tamanha precisão que se o leitor fechar os olhos, não irá conseguir enxergar, mas poderá imaginar com perfeição os personagens seja em seus momentos de tensão, ou nos momentos que mostrem apenas conversas entre Han e Chewie que lhe farão lacrimejar de rir.

Fotos retirada do Google

A Missão do Contrabandista é uma aventura curta que pode ser lido em uma tarde, mas não deixa de ser uma introdução muito boa para aqueles que querem se preparar um pouco mais para adentrar esse novo universo de Star Wars introduzido pela Disney, ou até mesmo para matar a saudade de certos personagens que deixaram um vazio em nosso peito após a estréia de O Despertar da Força. O enredo se encaixa perfeitamente no período temporal em que se passa, com a destruição da primeira Estrela da Morte e a ascensão da Aliança Rebelde, e também pela maneira com que a missão pode ser vista como algo claramente plausível no contexto dos personagens principais, não sendo necessário fazer esforço mental nenhum para imaginá-los naquela situação, retrato da boa escrita de Rucka. O escritor faz o trabalho certo ao deixar um gostinho de "quero mais" no leitor, e apesar da trama ser originalmente um conto sobre a Millennium Falcon,  ela levanta certos pontos interessantes sobre a relação de Chewie e Han que podem muito bem vir a serem preenchidos no filme solo do Han Solo (me perdoem o trocadilho), ou até mesmo aproveitados para os filmes principais da saga.

No veredito final, A Missão do Contrabandista é um livro essencial para todos os amantes de Star Wars que desejam conhecer as novas proezas do contrabandista mais infâme da galáxia, e quem dedicar seu tempo vai se deliciar com a sagacidade e peripécias de Han em um planeta completamente novo para os fãs, além de se preparar emocionalmente para os filmes que estão por vir.


Deixe sua opinião

 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!