RESENHA: HALO - ALEXANDRA ADORNETTO

Título: Halo 
Título Original: Halo
Série: Halo
Livro: 01
Autora: Alexandra Adornetto
Editora: Agir
Páginas: 468
Ano: 2010
Adicione: Skoob 
Compre: Submarino / Amazon

Três anjos são enviados à Terra com planos de se misturarem aos humanos para assegurar a paz e trazer a bondade: Gabriel, o Herói de Deus, um antigo guerreiro que se disfarça de professor de música; Ivy, serafim abençoada com poderes de cura; e Bethany, a mais nova e inexperiente do grupo, enviada como uma jovem estudante para aprender sobre a humanidade.
Após Bethany se encantar com a vida humana, ela começa a viver todas as experiências de uma adolescente normal, até se apaixonar por um rapaz e colocar toda a missão em risco. As forças do mal se aproveitarão dessa situação para pôr seus planos malignos em prática. Um romance de tirar o fôlego, que responderá a pergunta: será que o amor é forte o suficiente para vencer as forças do mal
 
Venus Cove sempre foi uma cidadezinha paradisíaca, segura e cheia de alegria, mas de repente algumas coisas começam a acontecer. Assaltos, incêndios, assassinatos e suicídios começam a fazer parte da rotina dos moradores, tudo isso porque soldados das trevas estão na cidade, influenciando a mente dos moradores. Por isso que os anjos Bethany, Ivy e Gabriel (o arcanjo mais famoso) são enviados para a cidade com a missão de protegê-la e afastar as trevas.

O problema com esse trio é que Bethany é completamente inexperiente, essa é a sua primeira visita à Terra, por tanto, a primeira vez em que assume a forma humana, o que a deixa vulnerável a praticamente tudo. Ela demora bastante para entender porque é preciso comer diariamente, escovar os dentes, como usar um batom e qual a finalidade dele, e, confesso, é bem engraçado ver ela aprendendo todas essas coisas que estamos tão acostumados.

"Mas eu era um anjo na forma mais pura e mais vulnerável. Eu era ingênua e crédula, jovem e frágil. Sentia dor, porque não tinha anos de sabedoria e experiência para me proteger disso. Era por esse motivo que Gabriel desejava que eu não tivesse sido escolhida, e era por esse motivo que eu fora."

Os três se tratam como irmãos e inventam que seus pais diplomatas viajam o mundo inteiro, e que por isso eles decidiram para numa cidade pequena para sossegar. Como parte da missão, Bethany logo começa a estudar na escola da cidade, para mudar a mente dos colegas com a ajuda de Gabriel, que começa a trabalhar como professor de música na mesma escola. Enquanto isso, Ivy começa a prestar serviços comunitários na igreja local e a movimentar a cidade com eventos de caridades.

Beth, como começa a ser chamada, é bem diferente dos seus “irmãos”, Gabriel e Ivy não se envolvem emocionalmente com os humanos, apesar de quererem ajudar, eles não desenvolvem nenhum tipo de sentimento e permanecem frios, mas Beth desenvolve sentimentos por tudo a sua volta, a menina quer aproveitar ao máximo a vida adolescente que está levando na Terra. E quando conhece Xavier, podemos perceber o quanto ela se sente confusa em relação aos sentimentos desconhecidos.


Xavier é o meu personagem predileto desse livro. Ele é um garoto alegre, dedicado, e apesar de ser um pouco misterioso no começo do livro, sua personalidade é bem fácil de gostar (Beth bem pode dizer isso). Entretanto, se os anjos já não deveriam desenvolver sentimentos por humanos, imagine se apaixonar e criar laço com um?

Os dois começam um relacionamento bem devagar, são paginas e paginas com Beth narrando suas dúvidas e anseios. Eles se conhecem aos poucos e começam a passar bastante tempo juntos, o que desagrada bastante seus irmãos, que começam a achar que ela está se desviando de sua missão.

"Acho que não poderíamos ter evitado, pois fazia parte da nossa história desde o início. Afinal, as coisas vinham correndo bastante bem, e era de se esperar que houvesse alguma pedra no caminho. Só não contávamos que ela fosse tão grande.A pedra veio da Inglaterra e tinha nome: Jake Thorn."

E quando você começa a achar que a história está indo devagar demais, eis que surge Jake Thorn, um garoto que podemos definir, com todo clichê do mundo e a velha jaqueta de couro, como um “bad boy”. Jake começa a se aproximar de Beth com todas as más intenções possíveis, mas a mesma é uma “pessoa” muito ingênua e não consegue perceber isso logo de cara e, como podemos prever, quando descobre o estrago já está feito.

Eu comprei o Box de Halo a uns dois anos, estava numa super promoção na Submarino e não resisti. Com o desafio dos marcadores, eu decidi colocar ele na minha TBR para lê-lo de uma vez e, confesso a vocês, se eu não tivesse todos os livros da série, não daria continuidade.



Halo não é ruim, o livro é bom! Mas quando leio um livro em que o personagem principal começa com uma missão, eu quero ver ele nessa missão, e a autora simplesmente focou 80% do livro no relacionamento da Beth com o Xavier. Eu entendo que a Beth estava descobrindo os sentimentos, mas em 450 páginas tinha espaço suficiente para dois. Mas levando em conta que a autora escreveu esse livro com apenas 17 anos e que sua narrativa é fluida e cheia de detalhes, vale muito a pena lê-lo.

Quanto a parte técnica, as capas da séries são lindas! Acho que são as capas mais lindas que tenho em minha estante! A diagramação da editora também está impecável, não encontrei erros de português, o que me deixa extasiada! 

Enfim, espero que vocês tenham gostado da resenha! Se já leram ou ouviram falar do livro, me contem ai nos comentários! Beijos da Luma ❤


[TOP 5] PERSONAGENS MAIS RICOS DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS


Todo final de ano nós, humanos, nos iludimos com a esperança de ganhar aquela bolada que é a mega sena da virada, afinal, embolsar alguns milhões é uma ótima forma de se começar o ano. Sendo assim, fazemos bolões, comemos lentilha, vestimos roupa de baixo verde e fazemos todos os tipos de crendice para arrematar essa bolada, mas mesmo assim o universo seleciona apenas poucos para começarem o ano novo planejando uma viagem para Paris.

Dito isso, para alimentarmos ainda mais nossa inveja, resolvemos selecionar os 5 personagens das histórias em quadrinhos que acreditamos ser os mais podres de ricos para continuarmos com essa ilusão de que, um dia, o anjinho da loteria vai nos agraciar. Vamos lá?

LEX LUTHOR

Dono de uma das carecas mais brilhantes dos quadrinhos e talvez o inimigo mais conhecido do Superman, eternizado nas telonas por Gene Hackman, Lex é dono da LexCorp, uma empresa fictícia multibilionária e uma das maiores do Universo DC Comics.

Só a partir disso já poderíamos dizer que Lex merece um lugar na lista, mas se contarmos ainda com sua caçada incansável por um artifício que o auxilie a exterminar o Superman – um dos heróis mais próximos do invencível -, percebemos o quão rico Lex é: são milhões gastos em pesquisas, tecnologias avançadas, robôs gigantes e todas as artimanhas possíveis para que ele possa alcançar a única coisa que realmente lhe dá gosto na vida. Lex já foi citado mais de uma vez na Forbes Fictional 15, uma lista mantida pela revista anualmente que enumera os personagens fictícios mais ricos da história, com uma fortuna estimada em U$10.1 bilhões.


BRUCE WAYNE (BATMAN)

Quando não está chutando bundas durante a madrugada de Gotham City como um vigilante encapuzado, Bruce Wayne está administrando, junto aos seus fiéis assistentes, a empresa que herdou de seus pais.

Diferentemente da LexCorp, a Wayne Enterprises busca um desenvolvimento diversificado e sustentável com o mínimo de dano ao meio ambiente, enquanto ainda servindo como fonte de lucro para Bruce e de seus gastos como Batman, que não são poucos. São tantas divisões na empresa, como Aeroespacial, Tecnologia, Alimentos, Construção Civil, Metalurgia e etc que permitem que Wayne esteja em quase todos os campos do mercado, ao mesmo tempo em que servem como fachada quando Bruce resolve encomendar milhares de uma mesma peça ou até mesmo tanques militares e avião personalizados.

Sua fortuna, estimada por uma pesquisa da Centives, é de aproximadamente U$23.22 bilhões, o que aliada à sua inteligência o transforma em um dos personagens mais preparados das histórias em quadrinhos.



T’CHALLA (PANTERA NEGRA)

Ser o soberano de um país já lhe concede poderes e um domínio fora do comum (pode perguntar ao Doutor Destino), mas, além disso, ser o único detentor das únicas reservas do mineral mais caro do mundo fazem com que sua riqueza extrapole o limite do comum.

O príncipe T’challa é o protetor do reino fictício de Wakanda, na África do universo Marvel, e somente dentro do território de seu país que se encontra o mineral Vibranium, o mais raro do planeta. O Vibranium é um material com propriedades únicas, pois é isolante e não condutor, como a maioria dos metais. Dessa forma, o mesmo é capaz de absorver energia de forma singular, e é um dos principais materiais que foram utilizados para se forjar o escudo do Capitão América.

Logo, sendo o possuidor da única fonte conhecida do material faz com que T’challa tenha uma fortuna que chegue a ser estimada em até U$500 bilhões.



AQUAMAN/NAMOR

Imagine que você é um multimilionário ou multibilionário por um momento: você tem quantidades exorbitantes de dinheiro, no caso dos anteriores dessa lista devido às suas empresas e multinacionais, e que tem uma margem de lucro altíssima. Contudo, você teve que construir sua empresa (ou herdá-la), e necessita de capital para fazer o negócio girar, não é?

Agora, imagine que você é dono de um vasto território de riquezas naturais, e que todas as riquezas artificiais que caiam dentro do seu território sejam suas também: esse é o caso tanto de Aquaman, quanto de Namor. Os senhores dos mares das editoras Dc e Marvel, respectivamente, têm todos os oceanos da Terra a seu dispor para extrair suas riquezas, sejam elas pérolas e minerais preciosos, tesouros de piratas enterrados no fundo do mar e até petróleo – mas não acredito que você verá um dos dois comandando a indústria petroleira.

Dessa forma, não dá para mensurar a riqueza que esses dois podem ter a seu dispor (caso desejem) tamanha a proporção que ela pode ter, os colocando em segundo lugar dessa lista.


TIO PATINHAS

Pode acreditar. Dono de montanhas e montanhas de moedas de ouro armazenadas em galpões-cofres, o pato mais rico e recluso do mundo é considerado o personagem dos quadrinhos mais rico também. A Forbes, em suas pesquisas, sempre coloca o personagem em suas listas dos mais ricos, mas nunca exteriorizou o cálculo que fez para chegar ao montante, fazendo apenas uma estimativa do valor real.

Contudo, um Redditor resolveu fazer o cálculo baseado nas histórias do pato e os valores são de assustar. A conta envolve, basicamente, notar que o dinheiro contido dentro do galpão do Tio Patinhas não é a sua fortuna total, já que ele é um empresário e dono de várias propriedades e ações no mercado.

Além disso, ele fez um cálculo básico baseado nas dimensões do galpão ditas pelo próprio Carl Barks (um dos criadores do personagem), que são de “três acres cúbicos” de dinheiro de volume, e uma profundidade de 100 pés, aproximadamente 30 metros, chegando ao valor de cair o queixo de U$1.93 trilhões contidos apenas dentro do cofre! Isso é muita moeda para pouco pato.

Visto que a riqueza do nosso pato querido está claramente acima dos demais da lista, ele conquistou o direito de pegar o primeiro lugar só para si, e foi de lavada.


Resta agora só esperar que a gente seja adotado por algum milionário qualquer por aí, não é mesmo?

Não concordou com a lista? Acha que faltou alguém importante? Comenta aí!


4 APLICATIVO PARA QUEM GOSTA DE LER OU QUER COMEÇAR



Acho que vocês que me acompanham já perceberam o quanto eu gosto de ler, não é mesmo? E sei que muitas pessoas aqui também curtem bastante! Então ao pensar em uma matéria que agradasse a essas pessoas, decidi trazer aqui a dica de 4 aplicativos que me ajudam muito quando o assunto é leitura! Espero poder ajudar vocês de alguma forma também!

01 - Kindle 

Pouca gente sabe, eu mesma só descobri o aplicativo a menos de um ano, mas o kindle não é apenas um e-readers, ele também tem um aplicativo que você pode baixar no Android ou IOS! Você pode comprar o livro digital diretamente na Amazon e automaticamente ele vai para o seu aplicativo e apesar da maioria dos livros sem pagos, existe uma grande quantidade de livros gratuitos para você baixar e ler! Além disso, existem muitos livros nacionais que valem super a pena e custam menos de 3 reais. 

O que eu mais gosto no Kindle, é que posso marcar meus trechos favoritos sem problema nenhum! Além de poder fazer anotações no texto, o que facilita muito a minha vida quando algum autor parceiro me manda o formato digital. 

Se vocês quiserem umas dicas de livros super baratinhos ou gratuitos, eu já trouxe aqui um Top 5 com esse tema, para ler basta clicar aqui


02 - Wattpad 

Uma plataforma onde você pode encontrar de tudo! De tudo mesmo! Desde livros lançados por autores famosos, desde livros escritos por autores novos! Muita gente costuma postar no Wattpad suas próprias criações de forma anonima, sejam historias originais, ou fanfic sobre aquele shipper do momento! 

Eu confesso que usava para postar uma ou outra fanfic minha, ou ler algumas fanfics do meu shipper favorito! Mas como últimamente não tenho muito tempo para nada, mantenho o aplicativo no meu celular e em algumas raras oportunidades, dou um olhada nas novidas e começo a ler um livro original para ver se gosto ou não! 


03 - Skoob

Para quem não sabe, o Skoob é uma plataforma (ou rede social, se você preferir) que basicamente funciona como uma estante virtual, nele você pode montar sua estante de livros, marcar os livros lido, os que está lendo, os abandonados, os desejados, os emprestados, para que você tenha controle da sua estante. Ou para te ajudar a se livrar daquele livro que você não gostou nem um pouco, ou que você apenas quer se desfazer, também é possível que você os troque pelo aplicativo. A cada troca, você vai ganhando uma estrelinha e podendo mostrar a confiança para os outros usuários. 

Para viciados em livros, esse aplicativo é praticamente indispensavel, pois nele você também encontra resenha dos livros de outros usuarios que leram, pode ver os melhores preços, os livros similares ou da mesma série! Eu utilizo ele no meu dia a dia, e principalmente quando vou comprar um livro desconhecido!

Se você quiser saber um pouco mais sobre esse aplicativo, eu já fiz aqui no blog mesmo, uma matéria mais completa sobre ele, então basta clicar aqui



04 - Dicio

Eu comecei a usar o Dicio depois que comecei a ler alguns livros de ficção cientifica ou livros mais antigos, para ver o significado de certas palavras que não conhecia! E quando comecei a escrever meu livro – sim, estou escrevendo um livro – comecei a usá-lo ainda mais, para pesquisar palavras similares e não ficar repetindo muito a mesma coisa. 

É sempre bom term um aplicativo de dicionário no celular, ou até mesmo um dicionário físico, mas como esse é muito caro e dá mais trabalho para ficar carregando, uso o aplicativo mesmo!


Bom, esses são os quatro aplicativos que eu costumo usar e que me ajudam muito! Espero que vocês tenham gostado e me contem se vocês usam ou pretendem usar algum deles! 


EU ASSISTI: SENSE8


Com um lançamento da segunda temporada de Sense8, eu resolvi – finalmente – começa a assistir a série e ver se o que todo mundo falava era verdade. Vou tentar resumir aqui o que achei das duas temporadas.

Das mesmas criadores de Matriz – para quem não sabe, eles se assumiram transexual e fizeram a cirurgia para a mudança de sexo -, Sense8 está longe de ser uma série simples. Ela chega para você com ideias e propostas complexas, que no inicio parecem ser um pouco louca, mas que te prende a tela da televisão.



Para quem não sabe do que estou falando, Sense8 é uma série em que mostra oito pessoas que nunca se viram antes conectadas, elas podem sentir, ver, ouvir as mesmas coisas que as outras. Nós vamos começando a entender as coisas quando passamos a conhecer nossos oito protagonistas. São eles a Riley (Tuppence Middleton), uma DJ islandesa que mora em Londres; Will (Brian J. Smith), um policial de Chicago; Sun (Doona Bae), filha de um executivo de Seul que também é secretamente uma lutadora de kickboxing; Wolfgang (Max Riemelt), um ladrão de cofres de Berlim; Kala (Tina Desai), uma farmacêutica de Mumbai; Lito (Miguel Ángel Silvestre), um astro mexicano de telenovelas que esconde um segredo; Capheus (Aml Ameen/ Toby Onwumere – por problemas com as criadoras, o Aml foi substituído), um motorista de van de Nairóbi; e Nomi (Jamie Clayton), uma ativista transexual de São Francisco.

Não demora muito e vamos compreendendo quem são aquelas oito pessoas, mas ao mesmo tempo novas perguntas vão se fazendo presentes em nossas vidas. E o que mais gostei na série, é que eles estão tão perdidos quanto nós, ou seja, nós vamos descobrindo como tudo aquilo funciona ao mesmo tempo em que eles vão descobrindo e criando um lanço muito maior do que a “conexão”, eles criam um laço de amor e amizade.


Achei maravilhoso o fato deles conseguirem preencher os 12 episódios de forma e conseguirem nos mostrar quem são os personagens, juntos e individualmente. Porque ao mesmo tempo em que suas vidas mudam por conta daquela conexão estranha, eles também tem problemas individuais e precisam conciliar seu tempo.

E o que falar sobre a montagem da série? Dá para entender perfeitamente porque a segunda temporada levou dois anos para ficar pronta. Algumas cenas se passam em dois, três, e as vezes, até quatro países diferentes, então imagem a produção e a quantidade de chances de tudo dar errado? Mas tudo se encaixa perfeitamente e é surpreende a qualidade do que vemos. A narrativa também é impressionante, eles conseguiram fazer um roteiro em que as explicações fazem todo o sentido, por mais que as reviravoltas sejam mirabolantes.



Mas, em minha humilde opinião, a melhor coisas dessa série é a forma como são retratadas todas as culturas dos personagens e tudo sem clichês ou estereótipos. E principalmente quando o assunto é LGBT, vemos a situações vividas pelos personagens que nos fazem sentir uma dor no coração e se perguntar “para quê tanto preconceito?”

Sense8 é o tipo de série que vai te deixar maluca com tanta pergunta, te intrigar com os misteriosos, te fazer rir e chorar com a historias dessas oito pessoas diferentes e mostra o quanto a televisão precisa de um pouco mais de ousadia. 



RESENHA: A GAROTA DO CALENDÁRIO (MAIO) - AUDREY CARLAN

Título: A Garota do Calendário: Abril 
Título original: Calendar Girl
Série: A Garota do Calendário
Autor: Audrey Carlan
Livro: 05
Editora: Verus
Páginas: 160
Adicione: Skoob
Comprar: Saraiva Amazon
Nota: 4/5

O quinto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em maio, Mia vai trabalhar como modelo no Havaí, onde conhecerá Tai, um dos homens mais impressionantes que ela já viu. Com ele, Mia vai descobrir que o prazer não tem limites — e que ela deve aproveitar absolutamente tudo o que a vida tem a oferecer.
ESSE LIVRO NÃO É RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS

Como já contei nas resenhas dos livros anteriores (JaneiroFevereiroMarço -  Abril) Mia Saunders precisa de muito dinheiro, depois que seu pai fez uma dívida de um milhão de dólares com Blaine, um perigoso agiota, que por acaso é o ex-namorado dela, e acabou em coma no hospital, restou para a garota largar sua vida para conseguir pagar a dividia, já que o agiota estava ameaçando a vida de Maddy, sua irmã mais nova. Mia então virou um acompanhante de luxo e todo mês é mandada para um destino diferente, onde mora com seu cliente e vive novas aventuras. 

O destino desse mês é Havaí. Para a surpresa de Mia, dessa vez ela foi contratada para ser modelo em uma linha de biquínis para mulheres plus size, para quem não sabe, a Mia é cheia de curvas. E para a alegria dela, ela poderá levar sua irmão mais nova, a Maddy, e a sua melhor amiga, Ginelle, para passar uns dias em sua companhia. Mas antes das “férias” começarem, a nossa protagonista precisa resolver algumas em Vegas. 

"É frustrante esperar. Sinto como se estivesse vivendo metade de uma vida, com a outra metade por aí, em algum lugar sem mim." 

Ao chegar na cidade em que cresceu, Mia se depara com uma grande surpresa ao saber que sua irmã está namorando com um rapaz e que o relacionamento está tão serio que a mesmas está pensando em perder a virgindade com o mesmo. Mia então entra em desespero ao se dar conta de que sua irmãzinha está crescendo, ela não consegue aceitar ver que a mesma está ganhando asas, já que praticamente criou a menina. O problema é que antes de Mia conseguir aceitar tudo o que está acontecendo, em um jantar na casa dos pais do Matt o mesmo pede a mão de Maddy em casamento e ela lidar com a situação de uma forma bem precipitada. Apenas depois de ver o quanto Matt  faz a irmã feliz,  e o quanto a família dele está disposto a proteger a menina, ela vai se tranquilizando. 

Já no Havaí, Mia está bastante empolgada com a sessão de fotos da grife italiana, mas quando conhece o modelo Tai Niko, um nativo da região que tem um lado do corpo todo tatuado, ela tem sua atenção desviada, pois só consegue pensar em explorar aquelas tatuagens. E acompanhada do samoano sexy, ela vai desvendar os limites do sexo e do prazer, ao mesmo tempo em que descobre um pouco mais sobre si. 
"O verdadeiro amor sempre é difícil. Acho que você tem que passar por algumas provações e adversidades para chegar ao final feliz, para encontrar o “viveram felizes para sempre”
O mês de Maio foi o mês em que mais conheci a Mia de verdade, eu pude vê-la como é junto com sua amiga e sua irmã, vi o lado maternal da mesma e tudo o que ela fez pela menina. As cenas no Havai e sobre a cultura de lá, também são bem descritas e podemos adicionar o Tai a lista de caras que estão mudando a Mia.  Gostei bastante do fato dele ser um cara bem simples e humilde, saindo da onda de caras ricos arrogantes. 

A diagramação da editora também está sensacional, sem erros de português, com letras grandes e poucas paginas! Um ótimo livro para ler em uma praia, pois é uma leitura rápida e muito quente!



O QUE EU FAÇO?


Você percebeu que quando está dirigindo, coloca a mão em minha perna e a deixa ali parada, apenas aquecendo minha pele? Que eu estico a mão até sua nuca e fico fazendo carinho em seu cabelo? Que quando o sinal fecha, você sempre me olha e sorri abertamente? Não sei exatamente como essas pequenas coisas começaram entre nós dois, mas agora fazermos de uma forma tão involuntária e fico imaginando se isso faz seu coração acelerar também, sabe? Porque o meu dispara dentro do peito e acho isso um pouco preocupante. Eu sinto um medo terrível quando isso acontece, quando percebo que me sinto em paz ao seu lado. 

O problema não é você. Não é nós dois. O problema sou eu. Eu não quero me envolver, porque meu coração não vai aguentar ser machucado outra vez, eu ainda estou costurando alguns retalhos nele desde o meu último relacionamento, ainda estou tentando fazer ele ficar inteiro outra vez e entre nós dois as coisas são muito complicadas. Eu não quero estragar as lembranças que tenho de você em minha vida. Será que você se lembra de tudo? Porque eu nunca esqueci. 

Eu tinha onze anos e você tinha treze, sua mãe me convidou para passar as férias em sua casa, para eu ficar com sua irmã e fazer companhia a ela, afinal, vocês tinham acabado de se mudar para Salvador. Consigo me lembrar perfeitamente das coisas que aconteceram naqueles dias, lembro que vocês tinham dentista em Feira de Santana e que eu encostei a cabeça em seu ombro e dormi durante a viagem. Lembro de nós dois sentados juntos no banco da praça, da  gente andando de patins de um lado para o outro, de quando você pegou em minha mãe pela primeira vez, elas estava toda soada e eu estava bastante nervosa. Lembro de quando você me perguntou se eu queria namorar com você e eu timidamente balancei a cabeça e corri para contar a sua irmã. Lembro que no nosso primeiro beijo, estávamos sentados na mesa de sinuca do salão de jogos, seus amigos colocaram Cinco Minutos do RBD para tocar por que eu tinha pedido e nos beijamos de forma desastrada. Lembro que nas noites, eu me sentava ao seu lado em seu quarto e você colocava RBD e Floribella para tocar, porque eram as coisas que eu mais ouvia na época. E que em uma tarde, estávamos andando de patins na quadra sozinhos, passamos pelo corredor da piscina e você me perguntou “eu não mereço nem um beijinho?” e eu timidamente encostei meus lábios no seus e corri. 

Você foi o primeiro menino que eu beijei, o primeiro menino de quem eu gostei e até cheguei a escrever sobre você em meu diário. Nas minhas lembranças de infância, você sempre esteve presente como um príncipe. Sempre nutri um enorme carinho por você, então me diz, o que eu faço? 

Por um lado tenho medo de me arriscar e que tudo acabe ruim. Tenho medo de te entregar meu coração e que ele volte ainda mais retalhado. Tenho medo de estragar essas lembranças doces que guardei com tanto carinho. Mas por outro lado, quero te entregar as paginas em branco da minha vida, quero encher elas de novas lembranças com você, quero ver onde isso tudo vai dar. Então me diz, o que eu faço?


RESENHA: BAÍA DA ESPERANÇA - JOJO MOYES

Título: Baía da Esperança
Título Original: Silver Bay
Autor (a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 301
Ano: 2016
Adicione: Skoob
Compre: AmazonCulturaSaraivaTravessa

Classificação: 5/5

Liza nunca conseguiu fugir do passado. Mas nas praias paradisíacas da encantadora comunidade de Silver Bay ela ao menos encontrou a liberdade e a segurança que procurava se não para ela, para sua filha pequena, Hannah, até que Mike Dormer se hospeda no hotel que Liza administra com a tia.
Um perfeito cavalheiro inglês, com roupas elegantes e olhar sério, Mike pode significar o fim de tudo que Liza trabalhou arduamente para proteger: não apenas o negócio da família e o lugar que tanto gosta, mas principalmente a convicção de que ela nunca amaria nem seria digna de amor outra vez.


Mike é um jovem empreendedor que só tem uma ambição na vida: agradar seu sogro para se tornar seu sucessor na empresa. E para isso, ele precisa viajar para Austrália, mais especificamente, para Silver Bay, uma pequena cidade que tira seu maior sustento da observação de baleias e golfinhos, onde precisa realizar uma pesquisa acerca da construção de um luxuoso resort que a empresa pretende construir. Então sem pensar duas vezes, ele deixar sua futura esposa em Londres cuidando dos preparativos do casamento e viaja para cumprir seu objetivo, achando que tudo vai ser fácil e rápido, já que seu interesse é puramente profissional, ou melhor, puramente financeiro.

Ele se hospeda em um pequeno hotel caindo aos pedaços, o Baía da Esperança, que é próximo ao local em que sua empresa pretende construir o resort e começa seus trabalhos, investigando tudo o que pode. Porém aos poucos Mike vai conhecendo a cidade, suas historias e principalmente o interesse que os habitantes tem pela vida marinha, ele também vai conhecendo mais a historia de Kathleen, a dona do hotel em que está hospedado, Liza, sua estranha e misteriosa sobrinha, e Hannah, filha de Liza, uma garota animada, mas cheia de segredos, e podemos perceber que sua visão e seus valores vão mudando.
“Observe o mar por tempo suficiente, seus humores e suas exaltações, suas belezas e seus terrores, e você terá todas as histórias de que precisa, de amor e perigo e daquilo que a vida nos traz em suas redes. E do fato de que às vezes não somos nós que estamos no no leme, e não podemos fazer mais do que confiar em que tudo vai dar certo”
A verdade é que Mike é um homem sem muita experiencia na vida. Ele nunca encontrou algo que realmente gostasse, que lhe desse prazer, nunca se tornou parte de algo, mas naquele hotel caindo aos pedaços, sentando na noite fria todas as noites com todos os baleeiros (um detalhe importante: lá eles não pescam baleias, apenas as observam, mas também são chamados assim) enquanto conversam besteiras, Mike se sente em casa.

Liza é uma jovem mãe solteira que traz um passado perturbador e misterioso desde que fugiu de Londres com Hannah ainda pequena. Por causa do seu trauma,  ela é cheia de cuidados com sua filha Hannah, tantos cuidados que a menina é proibida de se aproximar do mar, enquanto ela se esconde do mundo em seu barco, ela sentia-se em paz em meio àqueles animais (baileias e golfinhos). Mas sua vida vira de cabeça para baixo com a chegada de Mike, primeiro porque pela primeira vez em muitos anos, Liza sente seu coração acelerar por alguém e ela tem medo da felicidade. E também porque um grande resort está prestes a ser construído bem no ao lado do hotel de sua tia, e além de ameaçar a vida dos animais marinhos, tirar o sossego da cidade, ainda iria falir o pequeno hotel e poria sua vida em risco outra vez.


Liza não podia deixar isso acontecer, ela não queria ter que se mudar com sua filha, deixar sua tia para trás e e ter que recomeçar mais uma vez, porque ainda nem tinha se acostumado a nova vida. E quando ela acha que nada pode piorar,  ela descobre que Mike está por trás de todo esse pesadelo e que ele está prestes a se casar.

Baía da Esperança é o quinto livro de Jojo Moyes que li (leia aqui as resenhas de: Como Eu era Antes de Você, A Última Carta de Amor, Depois de Você, Um mais Um), e posso dizer que a cada novo título que tenho o prazer de conhecer, fico ainda mais admirada com o talento e criatividade da autora, e ainda mais ansiosa para ler todos os seus livros. Vou aproveitar e agradecer ao namorado mais lindo do mundo por ter me dado esse livro e todos os outros livros da autora lançados no Brasil!
E é isso que amo nelas: apensar do poder, da força muscular, da aparência assustadora, as baleias são um das criaturas mais benignas de todas.
Mas voltando ao livro, tenho que dizer: esse livro despertou todos os sentimentos possíveis em mim, principalmente a insonia. Calma, vou explicar bem direitinho para vocês. A Jojo nos trouxe um livro que vai muito além do romance, ele mexe com nossa consciência, principalmente se você gosta de animais, o tempo inteiro eu me fiz a pergunta: até que ponto nós, humanos, vamos em busca do dinheiro? A Jojo nos apresenta um pequeno paraíso, onde é possível passear de barco e ver vários golfinhos e baleias, mas o local pode ser destruído, porque querem construir um grande resort de luxo, onde a pratica de esportes aquáticos podem até matar os pobres animais e nos faz pensar: porque? 

Além disso tudo, o livro é narrado por vários personagens diferentes, o que nos dá o ponto de vista de cada um e deixa o livro ainda mais interessante. Não preciso nem falar muito da escrita da autora né? A Jojo é simplesmente sensacional quando se trata de escrever uma história, sua narrativa é fluída, envolvente e emocionante. Quando o passado da Liza é revelado, gente, eu queria poder abraçar a personagem e dizer: tudo vai ficar bem. Também queria muito abraçar a Hannah, porque foi difícil ver uma garotinha na situação dela. O livro me fez rir, suspirar, ter raiva, refletir e chorar, claro, né? Tem algum livro dessa mulher em que eu não vá chorar? Sobre a insonia, é porque li o livro em dois dias, uma noite eu simplesmente sonhei a noite inteira com os personagens, e na outra eu só consegui dormir quando acabei o livro, e isso foi as 5 da manhã. 


Enfim, Baía da Esperança é o livro que eu queria poder fazer todo mundo ler. Ele é sensacional e aposto que ninguém vá se arrepender com leitura! E sabem o que é melhor? A Jojo realmente passou alguns meses em Silver Bay, conversou com os observadores de baleia, buscou entender o sentimentos deles com o bar e, por fim, escreveu o livro e nos transmitiu os mesmos sentimentos em alguns dos seus personagens!


“Tenho absoluta certeza de que eu jamais poderia ser descrita como ‘alegre’, mas Kathleen uma vez me disse desconfiar de que eu me sentia tão ligada às baleias porque eram criaturas solitárias. Não há tal ligação entre baleia macho e fêmea – pelo menos duradoura, de qualquer modo. O macho não desempenha qualquer função paterna, por assim dizer. Ela não acrescentou que as fêmeas não são monogâmicas – àquela altura, não era necessário -, mas mães admiráveis. Vi uma corcunda correr o risco de encalhar para aninhar o filhote. Ouvi os cantos de amor e perda romperem o silêncio das partes mais profundas do mar, e chorei com eles. Nesses cantos, a gente ouve toda a alegria e dor de qualquer mãe fascinada pelo coração do bebê.”





[TOP 5] SÉRIES QUE DEVERIAM ESTAR CATÁLOGO DA NETFLIX

A Netflix alegra a todos nós, todos os dias, trazendo um catálogo poderoso de séries originais e licenciadas para nos ajudar a fazer aquela maratona marota do final de semana. A sexta feira vai chegando e você se imagina saindo do trabalho, chegando em casa, colocando o pijama e fazendo aquele chocolate quente para deitar ao lado de sua pessoa amada e assistir aos episódios juntinhos.

Infelizmente, como nada é perfeito, o serviço de streaming não possui a licença para várias séries amadas por muitos, fora que o seu catálogo geral se modifica de país para país. Logo, um seriado que é disponível em um país como os Estados Unidos, possuidor do mais catálogo no presente, pode não estar listado no catálogo brasileiro, deixando os fãs frustrados.

Dessa maneira, resolvi listar aqui 5 séries que me fazem muita falta e me doem o coração por não estarem disponíveis na Netflix, para que todos possam sofrer junto comigo. Vamos lá?



01 - PARKS AND RECREATION

Se você é fã de comédias no estilo pseudodocumentário, como Modern Family, então Parks and Rec é uma indicação que não pode faltar na sua lista de séries. Comandada pela humorista Amy Poehler, que atua na série como a centrada e certinha vice-diretora do Departamento de Parques e Recreação de Pawnee, Indiana, a série lhe ganha não por piadas prontas e embutidas, mas pela interação de cada peça do elenco, que consegue ser único em vários sentidos, e pela demonstração do quão idiota e profundamente absurda pode ser a interação entre políticos e a população.

A primeira temporada é meio fraca e possui apenas sete episódios curtos, mas a partir da segunda, Parks and Recreation alcança níveis épicos de humor e lhe faz não querer desgrudar os olhos da tela por muito tempo. Foi o que aconteceu comigo, que vi a série inteira (menos o seu último episódio, o qual reservei) em praticamente duas semanas. Só posso dizer que minha vida teria sido facilitada se a Netflix disponibilizasse essa que hoje é uma das minhas séries favoritas.


02 - GAME OF THRONES

Game of Thrones é um fenômeno mundial, seja literário ou televisivo, e até aqueles que possam ter se desestimulado com a série (como eu) tem que dar o braço a torcer e concordar que ela mereceria estar catalogada no serviço de streaming.

Baseada nos livros de sucesso de George R. R. Martin, a série foi adaptada em 2011 pelo canal americano HBO e tem sido um estouro em audiência por todas as suas temporadas. Chegamos a um ponto de GOT em que o seriado ultrapassou o ponto dos livros em que a história está “empacada”, mas mesmo com o aval e o direcionamento de George Martin, os roteiristas tem modificado pontos cruciais da história original que fizeram muitos fãs a serem forçados a imaginar uma “realidade alternativa” para a série, o que não agradou a muitos (inclusive eu, que sou fã de carteirinha dos livros).

Mesmo assim, Game of Thrones continua sendo uma série essencial para muitos e aclamada pela crítica, só que o grande porém é que a HBO possui o seu próprio serviço de streaming, o HBO GO. Dessa forma, as chances de GOT (ou alguma outra série da HBO) algum dia aparecer no catálogo da Netflix são remotas, o que é uma pena.


03 - SCRUBS

Scrubs tornou-se um clássico instantâneo nos anos 2000 por misturar o ambiente médico consagrado por séries como ER com a comédia, levando à fama atores como Zach Braff e Sarah Chalke, além de receber múltiplas indicações à prêmios especializados.

A série mostra o convívio diário e a evolução dos profissionais do Hospital fictício Sacred Heart sob a perspectiva de John “J.D.” Dorian, personagem de Braff, que constantemente divaga e inclui suas fantasias pessoais sobre o seu ambiente de trabalho, bem como conta a história e seu contato com os outros personagens.

Mesmo sendo prontamente uma série de comédia e não necessitando daquele som de risadas falsas visto em muitos seriados, Scrubs conta com mais momentos hilariantes (muito devido a relação do personagem de Braff com o Dr. Perry Cox) do que a maioria das séries que eu conheço, e mesmo assim consegue te levar das risadas às lágrimas em um único episódio devido a qualidade de seu roteiro, e seria uma excelente adição à lista de seriados disponíveis no serviço.



04 - THE OFFICE

Novamente seguindo a linha de pseudo documentários, The Office é um remake da série britânica de mesmo nome e conta com Steve Carrell como carro chefe interpretando o desastrado e agregador de vergonha alheia Michael Scott, diretor de um departamento da empresa de venda de papel Dunder Mifflin .

A forma incomum de filmagem do seriado, combinado com as atuações impecáveis de Rainn Wilson e Carell, que inclusive rendeu um globo de ouro ao último na categoria Melhor Ator em Série – Comédia ou Musical, transformaram The Office em um hit, alcançando uma legião de fãs que cultuam a série até hoje.

Carell decidiu por afastar-se da série com o final de seu contrato na sétima temporada para perseguir outros caminhos em sua carreira, o que provou-se como um choque para muitos e afetou a sua audiência, mas mesmo assim The Office seria um seriado em que eu alegremente voltaria a maratonar se fosse exibida no nosso canal online favorito.



05 - BATMAN: A SÉRIE ANIMADA

Conhecida como umas das precursoras e motivos do sucesso da DC comics na televisão, Batman: A Série Animada foi marcada pelo toque do lendário Bruce Timm, um ótimo trabalho de dublagem devido a nomes como Kevin Conroy e Mark Hamill (o nosso querido Luke Skywalker), e por uma complexidade de roteiro e estética que lhe renderam quatro estatuetas do prêmio Emmy, seja Primetime ou Daytime Emmy Award.

Com inspiração nos filmes do Homem Morcego dirigidos por Tim Burton, visto claramente na diferença na dublagem realizada por Kevin Conroy para Bruce Wayne e Batman, assim como fez Michael Keaton, e em quadrinhos também aclamados pela crítica, como as graphic novels de Frank Miller, Batman: A Série Animada foi um sucesso total para pessoas de todas as faixa etárias e gostos. Mesmo sendo exibida originalmente apenas por três temporadas (1992 - 1995), a animação deu origem a diversas continuações espirituais e a uma febre entre as trabalhos televisivos da DC Comics, sendo considerada pela IGN como a segunda melhor animação de todos os tempos (atrás apenas de Os Simpsons).
Dessa forma, acredito que seja um crime a Netflix não ter obtido a licença para disponibilizar essa obra-prima que, assim como a mim, marcou a infância de muitos nerds por aí.

Não concordou com a lista? Achou que alguma série não podia ficar de fora? Comenta aí!


 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!