EU ASSISTI: EU, TU E ELA



Jack (Greg Poehler) e Emma (Rachel Blanchard) são casados a quase dez anos, moram em um bairro tradicional do subúrbio e são bem sucedidos no âmbito profissional, mas a alguns anos a relação deles esfriou um pouco e ambos começaram a freqüentar uma terapia de casal, querendo recuperar as relações sexuais que já são quase inexistentes.

Jack acaba desabafando com seu irmão e conta tudo o que está lhe preocupando no casamento, o mesmo lhe dá a idéia de contratar uma acompanhante que não faz sexo, uma mulher com quem ele pode sair, paquerar, conversar sobre qualquer coisa, mas com quem ele não vai transar no final da noite. Depois de muito pensar, Jack contrata Izzy (Priscilla Faia), uma estudante de psicologia que sai com homens casados para que eles possam desabafar, mas eles acabam despertando um interesse mutuo. 

Cheio de culpa por ter se sentindo atraído por Izzy e por quase ter ido para cama com ela, Jack conta a Emma tudo o que aconteceu, deixando-a furiosa. Emma decide que quer conhecer a mulher que despertou o interesse do marido, então a contrata para um encontro e, para a surpresa de todos, Emma também acaba se interessando pela moça. 


Emma conta a Jack tudo o que aconteceu entre ela e Izzy, mas os dois decidem que é necessário reprimir aquele louco desejo. Mas os dois se vêem perdidamente apaixonados por Izzy, que está tão confusa quanto o casal. 

A jovem estudante de psicologia, dividi um apartamento com a amiga e está iniciando um relacionamento com Andy (Jarod Josep), mas se vê envolvida pelo casal e igualmente apaixonada pelos dois. Ela começa a se sentir uma destruidora de lares à medida que vai os encontrando.

Quando vi a série na Netflix, a sinopse me chamou atenção por ser um assunto pouco abordado na mídia. Coloquei o primeiro episodio e quando me dei conta estava aguardando ansiosamente pela próxima temporada.

Apesar de ser um tem “pesado” – porque mostra como as pessoas são preconceituosas com assuntos que não compreendem bem – os episódios são leves e nos faz rir o tempo inteiro, mesmo com os momentos dramáticos. 

A mensagem dá série foi bem clara para mim: não devemos julgar apenas porque não entendemos.

RESENHA: AS COISAS NÃO SÃO BEM ASSIM - RENATA R. CORRÊA

Livro: As coisas não são bem assim 
Autora: Renata R. Corrêa 
Ano: 2017 
Editora: Pandorga 
Páginas: 136
Classificação: 4/5 
Adicione: Skoob
Compre: Amazon, Saraiva 
*Livro cedido pela autor

Clarisse, uma jovem estudante de medicina, perde seu namorado, que acreditava ser o grande amor da sua vida, às vésperas de formatura, após sofrerem um grave acidente de carro. Morre com Guilherme um pouco da alegria de viver de Clarice, da sua esperança e do seu futuro.Depois de mais de um ano do falecimento de seu amado, o destino coloca na vida de Clarice, Henrique, um jovem advogado viúvo e pai de Duda, uma menininha loira, muito esperta e amorosa. Envolvidos por um sentimento sincero, terão que enfrentar grandes dificuldades e um sofrimento inesperado.É uma bonita e delicada história sobre recomeço, fé, esperança e sobre o poder do amor

Clarice sofreu uma enorme perda em sua vida ainda nova, seu namorado morreu depois de um acidente de carro em que ela também estava presente. Os dois estavam viajando junto com um casal de amigos, para comemorar a proximidade da formatura em medicina que aconteceria em um mês, e ele foi à única vitima fatal do acidente. 

Mais de um ano depois acompanhamos a vida de Clarice, que trabalha como plantonista em um pronto atendimento, porque não tinha motivação para fazer uma especialização. A mesma quase não sai de casa ou faz outra coisa além do trabalho, ela se culpa pelo acidente, pois acha que se não tivesse aceitado fazer a viagem, Guilherme ainda poderia estar vivo. 

"Aquele foi o dia mais triste de toda a minha existência, e por mais que eu ainda viva cem anos, não acredito que sentirei outra dor tão forte assim. Foi a dor de uma vida interrompida em plena juventude, a dor de sonhos esfacelados, a destruição de uma família que um dia se formaria, de filhos que não serão mais gerados. Enterrei um pedaço de mim naquele dia.”

Teresa, sua amiga de infância, é a única que ainda consegue fazê-la sair de casa de vez em quando. Ela vive tentando convencer Clarice a seguir em frente e tentar encontrar um namorado, porque Guilherme não gostaria que ela continuasse daquele jeito. Praticamente sem viver. 

Um belo dia, Clarice acompanha sua mãe até o mercado para ajudar com as compras. Em um dos corredores, ela observa uma menina tentando pegar uma caixa em uma prateleira mais alta e ajuda a mesma, que logo se apresenta como Duda. Quando Clarice perguntar por seus pais, a menina responde de um jeito natural que está apenas com seu pai, pois sua mãe era uma estrela no céu. Clarice se sente muito comovida com toda a situação da menina e como, apesar de tudo isso, ela é uma menina alegre. Então decide que precisa dar um up em sua vida e voltar a viver. 

“A vida é feita de sonhos, mas nem sempre eles se realizam... O que fazer quando de repente você se dá conta de que o tempo está passando e que a vida não é exatamente do jeito que você esperava que fosse?”

Clarice volta aos estudos para fazer um especialização, e aceita mais os convites de Teresa para saírem. Em uma dessas noites, ela vão em uma festa do patrão de Teresa, e ao chegarem, Clarice se surpreende ao ver a menina que havia conhecido no mercado. Ela também reencontra o pai da mesma, Henrique. Os dois passam bastante tempo na festa e conversam sobre Guilherme e a esposa dele. Apesar de estarem interessados um no outro, não sabem como devem agir por conta dos traumas que viveram no passado com suas perdas, mas ainda assim Henrique a convida para sair. 

Decidindo darem um passo de cada vez, vemos a relação de Henrique começar a nascer. As coisas fluem naturalmente, inclusive o relacionamento de Clarice com Duda. Mas como nem tudo são flores e às vezes a vida é muito cruel, o destino lhes coloca mais um obstáculo para enfrentarem. 

“Não estou procurando as coisas mais simples da vida! Querer me encontrar com você já diz tudo. Somos dois sobreviventes de tragédias da vida, isso poderia ser simples? Ou ao menos será que isso poderia dar certo?”
Depois de ler “Contra Todas as Probabilidades”“Amores e Desamores”, eu não esperava nada menos que um livro emocionante! Durante toda a leitura, eu consegui sentir a dor e o sofrimento deles, assim como as alegrias que viviam. Outra personagem que me cativou foi a Duda, que é uma criança muito carinhosa e que vive de maneira feliz, mesmo com o que aconteceu a sua mãe. A dor que Clarice e Henrique sentem, os aproxima e os fortalecem, pois ambos precisavam deixar a culpa de lado e se permitir a darem mais uma chance ao amor. 

O livro é bem curtinho, são menos que 150 páginas, e a depender do seu estado de espírito (se quer chorar tudo de vez ou ir com calma, como eu fiz) pode ler ele rapidamente. É o terceiro livro da Renata que leio em menos de um ano e posso dizer que sou fã dela! 

Espero que gostem da resenha e leiam assim que puderem, não vão se arrepender!

EU ASSISTI: NEVER - UM JOGO SEM REGRAS.


Never – Um Jogo Sem Regras, é um filme baseado no romance homônimo de Jeanne Ryan, feito para engajar um público ifanto-juveil com uma história cheia de romance e ação. Eu sempre via esse filme no catalogo da Netflix, mas ele nunca me chamou atenção de fato, apenas depois de ler algumas criticas, tomei coragem e assisti... Posso dizer que em diversos momentos do filme, prendi o fôlego! 

Vee (Emma Roberts) cansou de não conseguir dizer a mãe o que quer fazer da sua vida. Pois depois que seu irmão mais velho morreu, ela vem tentando de todos os jeitos, agradar sua mãe e mantê-la bem, mas quando surge o Never - um jogo onde você pode ser “jogador” ou “observador”, se você escolher jogador, vai precisar aceitar todos os desafios que os observadores te enviam, ganhando dinheiro em troca até você desistir ou falhar, mas quando isso acontecer, você pode perder tudo – ela resolve entrar no jogo e mostrar a todos que ela pode ser diferente. O seu primeiro desafio é ir até um determinado bar e beijar um desconhecido até a meia noite, é assim que ela acaba beijando o Ian (Dave Franco) e logo depois descobre que o mesmo também é um jogador de Never.


Os observadores gostam bastante da química deles e começam a distribuir desafios onde eles precisam cumprir juntos. Acontece que Never não é apenas um jogo, é um rede onde todos podem ver o que você está fazendo em tempo real, sua vida passa ser viralizada, seja com o abuso de drogas, sexo inconseqüente, pilotar uma moto vendando, ou se pendurar em um guindaste a 200 metros do chão. A cada desafio sua adrenalina aumenta, os observadores aumentam, e as chances de você perder sua vida aumentam ainda mais.

Vee e Ian vão se aproximando mais a cada desafio, vemos a menina ir se soltando aos poucos, falando sobre sua vida, fazendo o que quer e não o que sua mãe espera que ela queira. Ian também vai se soltando mais e vamos aprendendo a gostar do rapaz, os dois tem uma boa química juntos e quando menos esperamos, nos vemos prendendo a respiração e rezando para que eles consigam realizar os desafios e ficarem juntos. 

É quando o jogo começa a ficar muito perigoso e as coisas começam a sair do controle. O que antes era por diversão, adrenalina e dinheiro, passa a ser uma tentativa de salvar sua vida.




RESENHA: O ACORDO (AMORES IMPROVÁVEIS I) - ELLE KENNEDY

Título: O Acordo
Série: Amores Improváveis #1
Autor (a): Elle Kennedy
Editora: Paralela
Páginas: 360
Ano: 2016
Adicione: Skoob
Onde comprar: Saraiva

Tocante, profundo, engraçado, sexy... ''O Acordo" é um romance que vai te encantar e surpreender a cada página. Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha. Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.

Hannah é uma garota centrada nos estudos e que sabe muito bem o que quer, mesmo tendo sofrido um terrível trauma no passado, ela não se vitimiza ou odeia a todos por causa das situações ruins que viveu, e sim tenta seguir em enfrente mesmo com todas as mudanças que isso lhe causo. Ela estuda música e tem um talento nato para o canto, por isso irá se apresentar no festival de inverno planejado pela universidade, onde o vencedor ganhará uma bolsa, que ela precisa conseguir para poder continuar se mantendo na faculdade. Com seu talento, seria fácil conseguir essa bolsa se não tivesse aceitador fazer um dueto com Cass, ele, que adorava dar uma de estrela, tenta de todas as formas deixá-la de lado, coisa que ela não vai se submeter sem lutar. Entretanto, depois de quase um ano solteira, Hannah sente seu coração acelerar pelo novo aluno, que nem sabe que ela existe, por isso ela vai ser capaz de fazer um acordo com o capitão do time de hóquei, Garrett, para conseguir fazer com que ele a enxergue. 

Garrett é apaixonado por aquilo que faz, jogar hóquei, e apesar de todos acharem que ele faz isso pelo pai, o motivo está longe de ser esse. Ele joga porque quando está no gelo, ele sente-se bem e sabe que aquele é o seu lugar, mas a última coisa que ele deseja, é ser uma sobra do pai, por isso decide que vai mostrar ao mundo quem ele é de verdade, um grande capitão. Seu único empecilho é sua nota baixa em ética, matéria em que praticamente todo mundo tem se dado mal, sem uma nota alta, todo seu esforço vai par o ralo e ele precisa que isso mude antes que ele seja colocado no banco de reservas. A sua única alternativa era conseguir convencer Hannah a ajudá-lo, só que diferente da maioria, ela era imune ao seu charme, mas como ele nunca foi de desistir facilmente, buscou o ponto fraco dela para fazer um acordo. 

“Eu estava começando a me preocupar que eu pudesse realmente ser o seu tipo, e isso é muito aterrorizante para imaginar.”


A única coisa que nenhum deles esperava é que nessa disputa de forças, pudesse nascer uma amizade ou algo ainda mais forte, mas à medida que eles vão passando mais tempo juntos, as coisas vão mudando de figura. Ao lado de Garrett, cara que julgou ser um atleta babaca e egocêntrico, Hanna vai aprender a confiar em si mesma e, principalmente, a se divertir sem medo ou reservas. Assim como Garrett, aprende a se abrir e que, às vezes, precisamos quebrar nossas próprias regras para sermos felizes. No final, o que era para ser um acordo vai se transformar em uma cativante e libertadora história de compreensão, amizade e amor.

A narrativa da autora, ela é fluida e muito engraçada. A trama é bem elaborada e apesar de eu ter sentido falta de mais cenas dos personagens secundários, eu descobri que existe uma seqüência de livros com ele, então esse deve ser o motivo deles não aparecerem tanto. Também amei a forma que autora mostrou a superação de Hannah e Garrett, que tiveram traumas complicados no passado, mas não se deixaram dominar por aquilo, seguiram em frente tentando viver um dia de cada vez. E o fato de não colocar o Garrett como um personagem estereotipado, ele mostra que apesar de ter muitos músculos, ele é responsável, estudioso e acima de tudo, anseia respeito e reconhecimento profissional por quem ele é, e não pelo pai. 

Beijo com força, me entregando ao seu gosto e ao seu calor e a tudo que diz respeito a Hannah. Nunca esperei por ela. Às vezes, as pessoas entram na sua vida e, de repente, você não sabe como foi capaz de viver sem elas antes. E já não consegue entender como vivia a vida, saía com os amigos e dormia com outras pessoas sem ter essa pessoa importante na sua vida.

Acompanhar a história dos dois foi lindo e me arrancou muitas risadas alem de suspiros. Ver o romance nascer de uma amizade que tinha direito sessões de estudos, conversas sobre a vida e noites de pizza com direitos a maratonas de série, deitou tudo muito mais real. Você vai percebendo os sinais e as mudanças de sentimentos, sem contar que quando sentimento é descoberto, eles vão para lutar e tentar dar certo juntos. Outro ponto positivo é: a história é intercalada entre a narrativa de Garrett e Hanna.


RESENHA: A GAROTA DO CALENDÁRIO (JULHO) - AUDREY CARLAN

Título: A Garota do Calendário: Junho 
Título original: Calendar Girl
Série: A Garota do Calendário
Autor: Audrey Carlan
Livro: 07
Editora: Verus
Páginas: 144
Adicione: Skoob
Comprar: Saraiva / Amazon
Nota: 4/5

O que você faria para salvar a vida de seu pai? A vida é feita de escolhas. Mia Saunders fez a dela. O sexto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em julho, Mia estará em Miami para ser a estrela principal do novo videoclipe do cantor de hip-hop Anton santiago. Anton é lindo, confiante e está louco por Mia, mas, para ficar com ele, ela terá de resolver algumas questões do passado...

Como já contei nas resenhas dos livros anteriores (Janeiro – Fevereiro – Março -  Abril – Maio - Junho) Mia Saunders precisa de muito dinheiro, depois que seu pai fez uma dívida de um milhão de dólares com Blaine, um perigoso agiota, que por acaso é o ex-namorado dela, e acabou em coma no hospital, restou para a garota largar sua vida para conseguir pagar a dividia, já que o agiota estava ameaçando a vida de Maddy, sua irmã mais nova. Mia então virou um acompanhante de luxo e todo mês é mandada para um destino diferente, onde mora com seu cliente e vive novas aventuras. 

Julho chegou e o destino de Mia nesse mês anda um pouco incerto, depois de ter sofrido uma horrível tentativa de abuso sexual por parte de Aaron, filho do seu último cliente. A nossa acompanhante de luxo favorita anda muito insegura e desconfiada com todos a sua volta, graças ao trauma que passou, mas Mia ergue a cabeça e embarca para Miami, para se encontrar com Anton, conhecido mundialmente como Latin Lov-ah, um famoso astro do hip-hop que a contrata para ser a estrela do seu novo clipe.

Querendo superar seu trauma de qualquer jeito e ainda mais focada em ajudar sua família, Mia entra de cabeça na produção do clipe, mas toda vez que Anton a toca durante os ensaios, as lembranças do ataque vem em sua mente e ela não consegue prosseguir. É com a ajuda dos antigos e novos amigos, que ela vai ter forças para prosseguir adiante e superar esse trauma, por mais que isso seja mais complicado do que ela imagina. 

"Os pensamentos negativos são plantados como uma semente no cérebro e, uma vez que crescem, tomam conta da mente, infectando a nossa capacidade de enxergar a verdade e a beleza de forma clara. De ver a honestidade por trás de uma pessoa ou situação." 

E além desse turbilhão de coisas em sua vida, seu aniversário está se aproximando e Ginelle, sua melhor amiga, convenceu Wes a visitá-la. A ansiedade de ver o homem que ama, a toma por inteiro, mas será que ela está preparada pare reencontrá-lo depois de tudo?

Eu contei na resenha anterior, que Junho foi o mês mais tenso de toda a série, e eu fiquei extremamente curiosa para saber como a Mia lidaria com o trauma dela. 

Audrey fez questão de nos recontar como tudo aconteceu por meios de flash backs que a Mia tinha durante o livro, o que deixou toda a história mais real e emocionante. 

"Às vezes, as decisões que precisamos tomar são mais difíceis para nós do que qualquer um poderia imaginar." 

Porém, a escrita de Audrey Carlan é tão envolvente que assim que iniciei o sétimo tomo, já me conectei à história. O bom é que ela nos relembrou dos fatos mais importantes que aconteceram até então, de forma que pude novamente ficar por dentro de tudo. Achei a história bem dividida entre o trabalho dela com o Latin Lov-ah, a superação do trauma e o Wes de volta em sua vida.

Essa foi uma das séries mais rápidas que li em minha vida, e sou apaixonada pela história da Mia, pelas pessoas que ela encontrou ao longo da vida e pelo desfecho da história. Fiquem ligados para as próximas resenhas!


EU ASSISTI: I BEFORE FALL


Antes Que Eu Vá saiu nos cinemas nesse mês, com a direção de Ry Russo-Yong e Zoey Deutch interpretado Samantha, uma jovem que tem tudo o que sempre quis, uma família feliz, amigas divertidas, popularidade e o namorado que todas desejam. Depois de uma festa, ela sofre um acidente de carro com as amigas e morre. O problema é que Samantha acorda no “outro” dia, lembrando-se de tudo e descobre que está presa naquele dia até entender o que ela havia feito de errado. 

É necessário alguns dias até a garota entender o que precisa ser feito, nesses dias vemos Sam tentar concertas as coisas e entender como se meteu em certas situações. Para variar, eles cortaram cenas do livro que deixaram a desejar no filme, já que em diversas situações importantes, como o bullying, eles citaram apenas superficialmente, sendo que é um dos assuntos mais abortados no livro. Graças a isso, muitas atitudes da Sam, pareceram sem nenhum sentindo e não criamos empatia por uma personagem muito importante no filme. 

Sobre o final do filme, eu tive a mesma sensação que tive no livro, fiquei me perguntando se aquele realmente era o final ou se existia mais coisas. Apesar de entender um pouco do que a autora do livro quis, continuo pesando que não usaram todo o potencial que a história tem!


DECORANDO SUA COZINHA COM PRODUTOS CRIATIVOS (GORILA CLUBE)

A alguns meses eu conheci o Gorila Clube, uma loja online de presentes criativos, e fiquei apaixonada por praticamente todos os produtos da loja! Por isso selecionei os meus favoritos da categoria "Cozinha e Bar" para mostrar a vocês! 



1 - Porta copos nerd (Pokemon/Harry Potter)
Gente, tem de todos os temas que vocês imaginarem, mas o meu favorito é esse dos super-heróis com capinha e tudo.
Estou sonhando com uma almofada dessas!
O kit não é vendido pronto, mas pela loja você encontra vários produtos assim, desde Almofada porta pipoca, avental 
Imagina que divertido beber com os gelos em forma de bomba assim? Achei esse item muito criativo e legal!

O que vocês acharam desses produtos? Eu estou querendo comprar todos eles para mim! 

RESENHA: TOCADA PELA SOMBRA - RICHELLE MEAD

Título: Tocada Pelas Sombras
Título Original: Shadow Kiss
Série: Academia de Vampiros
Autor: Richelle Mead
Editora: Agir
Páginas: 384
Ano: 2010
Adicionar: Skoob
Comprar: Saraiva ☮ Amazon  Submarino  Americanas

Rose Hathaway sabe que é um erro se apaixonar por um de seus instrutores. Lissa, sua melhor amiga e última princesa do clã dos Dragomir, deve vir sempre em primeiro lugar. Rose precisa protegê-la. Mas, infelizmente, quando se trata de Dimitri Belikov, algumas regras parecem existir apenas para serem quebradas. Justamente quando Lissa e Rose veem seu pior inimigo, Victor Dashkov, a um passo de sair da prisão, imagens sombrias começam a invadir a mente de Rose, prenunciando algo terrível à espreita da Escola São Vladimir. A tensão ronda o mundo dos Moroi mais do que nunca. Os Strigoi desejam vingança pelas mortes causadas por Rose em Spokane. Numa batalha de tirar o fôlego, ela viverá seus piores pesadelos ao ter de escolher entre o amor de sua vida e sua melhor amiga. Será que essa escolha significa que apenas um deles sobreviverá?
O último ano do colégio chegou e Rose não apenas conseguiu alcançar sua turma, como se tornou a melhor aluna dela, mas devido aos acontecimentos do último inverno, ninguém está realmente comemorando, principalmente Rose. A personagem muda de uma forma drástica, o que é totalmente compreensivo. Sua leveza, seu alto astral, os flertes inocentes e as piadas sarcásticas praticamente sumiram, deixando-a instável que nos faz questionar sua sanidade mental. E se antes ela já estava focada em seu futuro, “eles vêm primeiro” se tornou o seu mantra, mas quando os Dampiros são mandados para um trabalho de campo, Rose é pega de surpresa quando designam outra pessoa para proteger Lissa. 

Graças às férias no hotel e todos os acontecimentos, também ganhamos o Adrian nesse livro. Depois de descobrir os poderes do rapaz, ele se muda para o colégio a fim de treinar com Lissa e estudar mais sobre o Espírito. A presença de Adrian não ajuda em nada a melhorar o humor de Rose, já que o rapaz continua insistindo em tentar flertar com ela a qualquer custo. E como o que está ruim pode piorar, o julgamento de Victor Dashkov chega e Lissa não poderá depor contra ele. 

"Vida e morte, tão imprevisíveis, tão perto uma da outra. Existíamos de momento em momento, nunca sabendo quem seria o próximo a deixar este mundo. Eu ainda estava parada olhando para as cinzas e, quando olhei para cima, tudo me pareceu tão doce e bonito. As árvores, as estrelas, a lua. Eu estava viva - e estava feliz com isso."

Não é segredo para ninguém que sou apaixonada por essa série de livros, e a cada livro que fui lendo, meu amor pelos personagens foi aumentando. Para vocês terem idéia, quando comecei a série, na mesma hora que largava um livro, eu pegava o próximo, até chegarmos ao último livro, que ainda não tive coragem de ler. 

Nesse terceiro volume temos muito mais cenas de combate e ação e o final é de enlouquecer qualquer ser humano. Como os personagens principais já foram apresentados aos leitores, o livro tem espaço de sobra para eles amadurecerem e evoluírem, e à medida que isso vai acontecendo, os problemas vão se tornando mui mais sério. As coisas entre Rose e Dimitri também esquentam um pouco, dá para ver nitidamente a ligação que eles têm e a paixão que sentem começa a pegar fogo! 


"Eu nunca tinha imaginado que minha primeira vez seria numa cabana na floresta, mas percebi que o lugar não importava. A pessoa, sim. Com alguém que você amasse, você poderia estar em qualquer lugar, e seria incrível. A cama mais luxuosa do mundo não importaria se fosse com alguém que você não amasse.
E, ah, eu o amava."

Esse livro sem duvidas tirou o meu fôlego durante a leitura, não sei como a Richelle consegue fazer isso livro após livro! Meu coração sempre fica acelerado e eu fico vidrada na leitura, o que é a melhor coisa do mundo, não é não?


4 MOTIVOS PARA ASSISTIR E AMAR 10 COISAS QUE ODEIO EM VOCÊ

Se você nunca assistiu 10 Coisas Que Odeio Em Você, pare agora o que você está fazendo, faça um balde de pipoca, sente-se em algum lugar confortável, ligue a Netflix e assista uma das melhores comedias românticas já feitas. Mas se você precisar de alguns motivos para ir assistir ao filme, veio ao lugar certo! Vou lhes dar 4 motivos excelentes para você amar esse filme!


É BASEADO EM UMA PEÇA DE SHAKESPEARE

Sim, não estou viajando! A comedia romântica é baseada na peça A Megera Domada, onde a irmã mais velha, Katherina , tem um gênio terrível e recusa todos os pretedentes que surgem, para o desespero da caçula Bianca, que só poderá se casar depois que a irmã concretizar o matrimonio com alguém. Já no filme, Kat e Bianca vivem uma situação mais moderna, apesar de ser bem semelhante. O pai delas tem uma regra, Bianca só pode namorar, ou ir as festas, quando Kat fizer o mesmo, mas para o desespero da caçula, a mais velha só tem um interesse: sair do ensino médio e ir para a faculdade, sem desviar seu caminho com rapazes e coisas fúteis.

Eis que surge Cameron, um aluno novo que vai se apaixonar perdida por Bianca. A menina vê ali uma oportunidade de realizar seu sonho e sair com o cara mais popular da escola (e não estou falando do pobre Cameron), manipula o garoto para dar um jeito na situação. Cameron contrata Patrik Verona para seduzir Kat, a coisa não é fácil e isso que nos causam muitas risadas!


A KAT É UMA PERSONAGEM FORTE E COMPLETAMENTE FEMINISTA

Kat (Julia Stiles) é uma garota focada em seus objetivos (um pouco amargurada também), com um pai medico que inventa regras para tudo e uma irmã mais nova que tem como principal objetivo ser popular, tudo o que a protagonista quer é acabar o ensino médio e passar para uma faculdade bem longe de casa. Ela tem uma personalidade forte e não se importa com que os outros pensem dela.

O FILME MOSTRA AMADURECIMENTO

A Kat já passou por poucas e boas na vida, por isso ela amadureceu bem depressa, mas Bianca ainda era uma adolescente fútil e o filme mostra o amadurecimento da personagem! O que é maravilhoso, porque odeio quando um filme começa e termina com o personagem do mesmo jeito. 


TEM O HEATH LEDGER COMO PROTAGONISTA

Foi graças a esse papel que o Heath ganhou destaque nos cinemas e conseguiu grandes papeis, como o épico coringa na trilogia do Batman, Cavaleiros Das Trevas, que lhe rendeu um Oscar mesmo depois de morto!


RESENHA: A GAROTA DO CALENDÁRIO (JUNHO) - AUDREY CARLAN

Título: A Garota do Calendário: Junho 
Título original: Calendar Girl
Série: A Garota do Calendário
Autor: Audrey Carlan
Livro: 06
Editora: Verus
Páginas: 160
Adicione: Skoob
Comprar: Saraiva Amazon
Nota: 4/5
"Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de junho em Washington com Warren, um coroa rico que precisa de uma mulher a seu lado para tratar com políticos e investidores. O acordo entre eles não envolve sexo — já com Aaron, o filho de seu cliente, Mia não pode garantir."

Como já contei nas resenhas dos livros anteriores (JaneiroFevereiroMarço - AbrilMaio) Mia Saunders precisa de muito dinheiro, depois que seu pai fez uma dívida de um milhão de dólares com Blaine, um perigoso agiota, que por acaso é o ex-namorado dela, e acabou em coma no hospital, restou para a garota largar sua vida para conseguir pagar a dividia, já que o agiota estava ameaçando a vida de Maddy, sua irmã mais nova. Mia então virou um acompanhante de luxo e todo mês é mandada para um destino diferente, onde mora com seu cliente e vive novas aventuras. 

O mês de Junho chegou e Mia precisou dar adeus a quente “férias” que passou no Havaí e embarcar diretamente para Washington, onde seu novo cliente, Warren Shipley, um senhor riquíssimo que precisa de uma namorada troféu para poder realizar o sonho da falecida esposa (aposto que estão se perguntando: o que?), a espera. 


Warren é um homem bom, simpático e humilde, apesar de todo dinheiro que tem em sua conta bancaria. Seu objetivo é conseguir investidores para seu projeto filantropo, que consiste em levar assistência medica aos países de terceiros mundos sem lucro algum, algo muito difícil de conseguir. Para se enturmar com os possíveis investidores, ele precisa que Mia assuma um papel totalmente oposto a sua personalidade, que ela seja uma namorada bonita, fútil e burra. A garota precisa fazer amizade com as outras “namoradas troféu” (odeio essa expressão) para que Warren consiga o apoio necessário.

"Sim, a vida era estranha, mas eu a estava vivendo ao máximo. Aceitava cada dia como ele vinha e experimentava tudo que podia. Aceitava o bom, o mau e até mesmo o feio, porque tudo isso era parte do processo. Como minha tatuagem dizia, eu tinha que confiar na jornada."


Mia é uma aspirante a atriz e se apaixona pelo projeto de Warren, assim a garota facilmente conseguiu assumir o papel e ajudar ao seu mais novo amigo. Sua relação com Warren é totalmente amistosa e respeitosa, Shipley enxerga Mia como uma filha mais nova e acaba aprendendo bastante com a garota. Mas não podemos dizer a mesma coisa de seu filho, Aaron.

Aaron Shipley é um homem extremamente irresistível. Aos 35 anos, ele é o senador mais jovem dos Estados Unidos, com propostas sensacionais para melhor o país e com um jogo de sedução que deixa Mia louca para passar o mês ao lado dele.

Mas cada dia na casa dos Shipley, mais segredos ela vai descobrindo, como o caso que Warren mantém com a Kathleen, a governanta da casa, desde alguns anos após a morte da esposa, por medo do filho descobrir o relacionamento. Isso faz com que Mia adquira mais um objetivo: ser o cupido desse novo casal, querendo mostrar a ele que não precisam esconder o amor que sentem um pelo outro. E apesar das suas intenções serem as mais puras, as conseqüências de suas ações causa um impacto enorme da nossa acompanhante de luxo favorita. 

“Talvez algumas pessoas simplesmente nunca superem o primeiro amor. Merda. Eu esperava que não fosse o meu caso. Tive uma porcaria de primeiro amor.”
Ao chegarmos a metade da série, nos deparamos com livro que tinha tudo para ser “leve” mais se torna um livro extremamente tenso e com uma abordagem diferente dos outros. Tanto no cenário, quanto nos personagens. A Audrey Carlan, nos mostrou nos livros anteriores o lado bom do luxo e do dinheiros dos clientes da Mia, mas aqui ela a nossa garota precisou enfrentar situações muito complicadas e conheceu o lado feio da riqueza. Onde pessoas más se safam de coisas graves. 

Ler sobre situações política e namorada troféu – já disse o quanto odeio esse tema? – de homens que saem com mulheres com idades para serem suas netas, apenas para mostrarem que conseguem qualquer coisa com dinheiro é complicado, mas adivinhem só? Isso tudo realmente acontece e é bem triste. Eu não tenho nada contra a diferença de idade, mas tratar uma mulher como objeto sexual é deprimente, para não falar outras coisas. A autora conseguiu introduzir um assunto muito real em uma série de romance erótico de uma forma esplêndida, tenho que aplaudir a Audrey por isso!

Esse foi um dos livros que eu mais gostei da série, porque a Mia se mostra realmente focada no projeto de Warren e no seu projeto pessoal de juntar ele oficialmente com a Katheleen. Claro que temos cenas bem quentes nesse livro, como uns flertes aqui e ali, uma troca de mensagens com Wes e alguns sonhos com ele – sou Team Wes desde o primeiro livro e amo quando o “diretor de cinema surfista gato” aparece em cena -, mas a autora mostra a personagem focada mais em suas missões do que no sexo em si. 

No meio do livro começa acontecer algumas coisas tensas, que me fez pensar que teríamos uma cena pior até o final do livro, mas a forma como a autora escreveu foi surpreendente e intenso. E confesso que apesar de ter entendido o final, eu fiquei com muita vontade de entrar no livro e gritar com TODOS os personagens envolvidos. Mas o que mais me emocionou no livro foi quando a Mia percebe que nessa jornada, ela fez muitos amigos verdadeiros.

“Nunca duvide de que você é amada, garota. A família é você quem faz, e eu sempre vou estar ao seu lado.”
Quanto à edição física, o livro continua no mesmo padrão da série. Capas com vestidos bonitos, diagramação simples, com a media de 100 a 150 paginas, o que nos faz ler o livro em poucas horas, uma boa revisão e, o que eu mais gosto no mundo: paginas amarelada.


 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!