FAROL DAS ORCAS (2016)


Beto (Joaquín Furriel) é biólogo marinho e trabalha no Parque Nacional da Argentina observando o comportamento das Orcas e da vida marinha. O que ninguém consegue entender é a ligação que ele tem com as Orcas, pois sem nenhum medo, Beto vive entrando na água para brincar com elas, o que é proibido, pois elas são consideradas Baleias-assassinas. Em um belo dia, aparece em sua porta uma mulher com uma criança pequena, eles são Lola (Maribel Verdú) e Tristan (Joaquín Rapalini), e o motivo de estarem ali é justamente a ligação de Beto com os animais. 

Tristan vive no spectro autista, ele não interage com ninguém além da mãe, não falo e não demonstra sentimentos, mas ao ver um documentário sobre Beto e as Orcas, Lola não pensou duas vezes em sair da Espanha e ir atrás do mesmo, acreditando que isso possa ajudar seu filho de alguma forma. 

Beto, de primeira, não está interessado em ajudar o menino. Acostumado a viver sozinho em um lugar deserto, tem poucos amigos e único laço que mantém de verdade é com seu cavalo e com as Orcas, mas depois de alguns estudos, ele percebe que pode fazer a diferença na vida do menino e decide ajudá-lo.


A forma em que ele se empenha em ajudar Tristan é muito bonita, mas o que realmente toca nesse filme é ver como o menino evolui aos poucos! Apesar de não acontecer nenhuma grande mudança no spectro autista dele, é perceptível o quanto ele vai se tornando um garoto mais feliz com o passar dos dias, e a relação dos personagens torna-se algo especial.

O é realmente sensacional e emocionante. Quando terminei de assistir, pesquisei sobre ele e descobri que o filme é baseado em fatos reais, apesar de algumas coisas terem sido adicionadas e mudadas, coisas essas que não interferiram no real sentido da história.


AGORA E PARA SEMPRE, LARA JEAN - JENNY HAN

Livro: Agora e para sempre, Lara Jean
Série: Para todos os garotos que já amei 
Livro: 03
Outras resenhas: 01| 02
Autor(a): Jenny Han
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Adicione: Skoob
Compre: Saraiva | Submarino

Em Para todos os garotos que já amei, as cartas mais secretas de Lara Jean — aquelas em que se declara às suas paixonites platônicas para conseguir superá-las — foram enviadas aos destinatários sem explicação, e em P.S.: Ainda amo você Lara Jean descobriu os altos e baixos de estar em um relacionamento que não é de faz de conta. Na surpreendente e emocionante conclusão da série, o último ano de Lara Jean no colégio não podia estar melhor: ela está apaixonadíssima pelo namorado, Peter; seu pai vai se casar em breve com a vizinha, a sra. Rothschild; e sua irmã mais velha, Margot, vai passar o verão em casa. Mas, por mais que esteja se divertindo muito — organizando o casamento do pai e fazendo planos para os passeios de turma e para o baile de formatura —, Lara Jean não pode ignorar as grandes decisões que precisa tomar, e a principal delas envolve a universidade na qual vai estudar. A menina viu Margot passar pelos mesmos questionamentos, e agora é ela quem precisa decidir se vai deixar sua família — e, quem sabe, o amor de sua vida — para trás. Quando o coração e a razão apontam para direções diferentes, qual deles se deve ouvir?

Lara Jean não é mais aquela jovem assustada em enfrentar o ensino médio sem ajuda de sua mãe, que faleceu quando ela ainda era uma criança, ou sua irmã mais velha, que foi fazer faculdade do outro lado do mundo. Ela também não é mais aquela jovem confusa com seus sentimentos, agora ela sabe que é apaixonada pelo seu namorado incrivelmente especial. Tem novos amigos, e consegue aproveitar o último ano do ensino médio como qualquer garota da sua idade, esperando apenas que as cartas das faculdades cheguem logo. 

Lara já tem tudo planejado, vai para a faculdade dos seus sonhos, que por sinal fica a 15 minutos de casa, na qual seu namorado já foi admitido. Os dois vão manter o relacionamento e ela vai poder aproveitar a vida adulta perto de sua família. Mas Lara Jean vai aprender que não temos controle do futuro e que se tornar uma mulher adulta é tomar decisões, e lidar coma pressão de escolher uma faculdade em que realmente se encaixe.

- Ser vulnerável, deixar pessoas se aproximarem, se magoar... tudo isso é parte de estar apaixonado.

No meio disso tudo, seu pai está de casamento marcado, e Lara faz de tudo para que seja uma cerimônia perfeita. Ela começa a planejar tudo, como se fosse seu casamento, querendo assim fugir um pouco da pressão que está sofrendo por não saber se seu relacionamento vai sobreviver à universidade, principalmente se eles forem para faculdades diferentes. E é nessa jornada que acompanhamos a Lara Jean entrar. 

Eu simplesmente amei a história do começo ao fim. Desde o primeiro livro, acho que a autora tem uma escrita fluida e consegue manter um ritmo bom, mesmo com a protagonista lidando com tanta pressão. Pressão essa que todos nós passamos em algum momento, quando precisamos decidir o que queremos ser quando crescermos; Pressão que sofremos ao entrar na vida adulta e percebemos que nem tudo é como imaginávamos. 

É assim que acontece? Você se apaixona e nada mais parece assustador, e a vida é apenas uma grande possibilidade?

Gostei de ver a forma que a Lara Jean amadureceu nos três livros, de como está saindo da sua zona de conforto cada vez mais e experimentando coisas novas. E o relacionamento dela? Ele é um dos meus personagens masculinos favoritos da vida!! Você lê o livro rezando para o namoro deles resistir a tudo que eles estão vivendo! (Estou evitando o nome para não dar spoiler a quem ainda não leu o segundo livro)

Se você ainda não leu essa trilogia, garanto que não vai se arrepender quando ler. Os três livros são encantadores e falam sobre amor fraternal, perdão e amadurecimento. Não perca tempo e vá ler agora mesmo!!


AMIGOS DA FACULDADE


Quando vi o trailler de Friends From College na Netflix, fiquei extremamente empolgada, porque me parecia uma série de comedia no estilo de Friends ou, até mesmo, How I Met Your Mother, já que a Colbie Smulder, que deu vida a Robin na segunda produção,estava no elenco. Mas, infelizmente, a série não era nem um pouco parecida, já que a qualidade nem chega perto das séries citadas. 

Na trama conhecemos um grupo de amigos formados por Ethan (Keegan-Michael Key), Lisa (Cobie Smulders), Sam (Annie Parisse), Max (Fred Savage), Nick (Nat Faxon) e Marianne (Jae Suh Park). Como o nome da série já diz, eles se conheceram na faculdade e mantém a amizade (e algumas outras coisas) desde aquela época, mas diferente da maioria dos amigos verdadeiros, toda vez que eles se reúnem parece mais uma competição de quem tem a melhor vida, melhor família, melhor emprego e o que era para ser uma comédia, se torna uma grande chatice, pois o que fica parecendo é que a amizade já não existe ali (se é que um dia existiu). Sem contar que os personagens são inconvenientes, arrogantes e extremamente egoístas. 

Ao assisti a série você espera uma comédia que não acontece, as piadas não funcionam e a carga dramática é muito maior e seria uma ótima fuga da série, mas os personagens forçados conseguem estragar até isso. Se você, como eu, é fã dos originais Netflix ou assiste algo pensando nos papéis anteriores do ator, não se deixe enganar facilmente. 


Temos como premissa a mudança do casal Ethan e Lisa para Nova York, onde eles vão poder morar perto dos antigos amigos. O Lisa não sabe é que Ethan mantém um caso com Sam desde o inicio do relacionamento e não consideram aquilo como algo grave, além do mais, aparentemente todo o grupo de amigos sabem desse caso, menos a própria Lisa. Inclusive acho que o personagem do Ethan foi o que mais me incomodou nessa série, não apenas pela traição, mas pelos trejeitos do próprio e a maneira exagerada em que forçava as piadas, fazendo-o parecer apenas mais um babaca. 

Friends From College, não completamente ruim, mas ela tem um ritmo devagar e enredo fraco que podem irritar a algumas pessoas, como eu, por exemplo. A verdade é que você fica com aquela sensação de que a série poderia ter sido muito boa, mas que no meio do caminho algo se perdeu.



A GAROTA QUE VOCÊ DEIXOU PARA TRÁS - JOJO MOYES

Título: A Garota que você deixou para trás
Título Original: The Girl You Left Behind
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Adicione: Skoob
Compre: Americanas | Saraiva | Amazon
Sinopse: Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo a família, a reputação e a vida na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo. Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

A garota que você deixou para trás é dividido em duas partes. Na primeira somos levados a França de 1916 durante a Primeira Guerra Mundial, e somos apresentados a Sophie Lefèvre, uma jovem mulher que voltou para a cidade em que cresceu, St Péronne, para viver com sua irmã Hélène, o irmão caçula Aurélien e os sobrinhos, depois seu marido, Édouard, foi chamado para a guerra. 

A cidade estava ocupada pelos Alemães, e à medida que os dias se passavam, ia ficando cada vez mais difícil viver ali. Sophie era uma mulher otimista e forte, mas vivia angustiada por noticias de seu marido. Ela não se conformava em ficar longe dele, em saber que ele, um artista estava lutando, e uma das poucas lembranças que tem dele é o quadro que Édouard pintou dela e que leva o mesmo nome do livro. 

O quadro fica pendurado no hotel de sua família, para todos verem. Sophie se recusa a escondê-lo dos Alemães, e quando o Her Kommandannt, comandante responsável pela ocupação exige que o hotel fique responsável pelo jantar dos seus soldados, ele passa a nutrir uma grande admiração pelo quadro e por Sophie, que mesmo o odiando, aceita a ocupação pela oportunidade de comer as sobras e alimentar sua família. 

"Mas eu me recuso a tirar o quadro da parede, não importa o que Hélène diga. Ele me lembra você, e a época em que fomos felizes juntos. Me lembra que a humanidade é capaz de amor e beleza assim como de destruição"

À medida que as noites passam, Her Komandant se mostra uma pessoa diferente do que ela imaginava, ele demonstra uma grande admiração pelo traço de Édouard, passando a venerar a imagem pintada da jovem. É quando Sophie percebe que tem uma arma em mãos para persuadi-lo em seu único interesse: reencontra o marido Édouard. 

Na segunda parte do livros, somos levados a quase um século depois, em 2006, e somos apresentados a Liv, uma jovem mulher que perdera seu marido a quatro anos e que ainda não conseguiu superar e seguir com sua vida. Ela vive em uma casa chique construída pelo seu marido, que era arquiteto, endividando-se cada dia mais para manter a casa e a memória de David, tento como único conforto, olhar para o quadro que ele lhe dera de presente de casamento. A Garota Que Você Deixou Para Trás está pendurado sobre sua cama a 10 anos, e é o seu objeto favorito no mundo inteiro. 

Numa tentativa desesperada de lhe arranjar um namorado, sua amiga Kristem marca uma jantar com todos os colegas, e, como era de se esperar, o encontro não vai adiante. No entanto, a noite revela grandes surpresas para Liv, que reencontra Mo, uma colega da época da faculdade que não via há muitos anos. 

"Penso em você noite e dia.Você é minha estrela guia nesse mundo de loucura"

Mo é uma garçonete que não tem onde morar, por isso Liv a convida para passar uma noite em sua casa. Mas as duas são completamente diferentes e Liv já está acostumada a viver sozinha. E de uma forma surpreendente, a presença de Mo, acaba preenchendo um espaço vazio há muito tempo em sua vida. 

Numa noite em que Mo está trabalhando e Liv não está disposta a fica sozinha, ela vai a um bar gay para afogar as mágoas, mas depois algumas taças de vinho, ela percebe que sua bolsa foi roubada e Paul, um ex-policial e irmão do dono do bar, oferece ajuda para levá-la para casa. Os dois sentem uma atração mutua, e suas vidas começam a mudar depois daquela noite. 

Quando tudo parece finalmente estar voltando aos eixos na vida de Liv, ela é notificada que A Garota Que Você Deixou Para Trás foi roubado na Primeira Guerra Mundial, e ela tem a opção de devolver a família ou ir para o tribunal. E o pior de tudo, quem está movendo a ação é a empresa para qual Paul trabalha. 


"O que isso ensina para a gente Sr.McCafferty, é que na vida há coisas muito mais importantes do que vencer"

Além de Liv ficar com raiva dele e se afastar por completo, ela embarca em uma jornada para provar que o quadro lhe pertence e que o lugar de Sophie é onde ele está há 10 anos. 

Uma história com muitas reviravoltas e cheia de segredos que começam a vir à tona no tribunal, nos revelando a verdadeira história de Shophie Lefrève. 

Um romance ambientado em duas épocas diferentes, e escrito com uma enorme sensibilidade, Jojo Moyes conseguiu contrabalancear duas histórias que possuem um propósito em comum: o resgate de uma identidade. 

Sophie e Liv são duas mulheres fortes e que de maneira distintas perdem o homem que amavam. Cada uma a sua maneira, elas demonstram lealdade, caráter, determinação e tiveram suas vidas alteradas pela existência do mesmo quadro.


MEU ÚNICO AMOR!



Você me conquistou com seu jeito de menino e olhar capaz de ler minha alma. Dono de um sorriso tão grande que lhe faz fechar os olhos, foi capaz de me trazer a paz que eu estava precisando. 

Você, que chegou de fininho e roubou meu coração, me ensinou uma maneira nova de amar. Fez um sentimento diferente surgir em meu peito, me aquecendo por inteira, e só então eu percebi que esse amor é diferente de todos os outros, esse amor não machuca. Esse é o amor verdadeiro. 

Então, fechei meus olhos e me lembrei de quando eu era criança e você estendeu a mão para me ajudar a andar de patins, de como você ficou em pé na rua para me deixar andar em sua bicicleta, lembrei da gente patinando lado a lado pelo seu condomínio e de quando me inclinei em sua direção e lhe beijei. Meu primeiro beijo. Meu primeiro amor. 

Quero passar minha vida ao seu lado, quero realizar nossos planos, quero ter nossos filhos e cachorros. Quero ter você dormindo ao meu lado todas as noites, me cobrindo de madrugada e me dizendo no dia seguinte o quanto puxo toda a coberta. 

Meu primeiro e único amor.



 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!