[TOP 5] LUGARES QUE QUEREMOS CONHECER NO JAPÃO

O Japão é um país referência quando o assunto é tecnologia, cultura e comida, e muitos que assim como eu cresceram sob forte influência da cultura japonesa por meio de animes, mangás e derivados nutriram a vontade de conhecer o país desde cedo. Eu e Luma nunca fomos à terra do sol nascente, mas planejamos conhece-la em dois anos e, com o alto hype com que estamos, resolvemos passar para vocês alguns pontos essenciais do nosso roteiro para se visitar quando for ao Japão.


#05 – CASTELO DE HIMEJI

A história do Japão, principalmente o seu período feudal (1185 – 1603), foi marcada por uma arquitetura única e bela que é motivo de inspiração até hoje por seu estilo e é cultuada por pessoas até fora do país. O Castelo de Himeji ou Himeji-jo é um desses exemplos de maravilhas arquitetônicas que impressionam por sua riqueza de detalhes, sendo uma construção imensa de 82 edifícios e um dos pontos turísticos mais procurados do Japão. É um dos três famosos castelos do país, junto ao Castelo de Matsumoto e o Castelo de Kumamoto.



#04 – KINKAJU-JI

Kyoto é uma das cidades mais procuradas por Japão não só por ter sido por séculos a capital do país, mas também por sua beleza arquitetônica preservada, que faz com que o turista se sinta entrando num túnel do tempo direto para o Japão Feudal, sendo conhecida como a Cidade dos Dez Mil Santuários. O Kinkaju-ji ou Templo do Pavilhão Dourado talvez seja o ponto turístico mais famoso da cidade, sendo um templo Zen construído originalmente como refúgio do Shogun Yoshimitsu Ashikaga em 1937.

O Kinkaju-ji fica às margens do lago Kyōko-chi, e tem sua estrutura foleada em ouro puro, formando uma imagem belíssima junto ao espelho d’água, e servindo de inspiração para outros templos em Kyoto, como o Ginkaku-ji e o Shōkoku-ji.


#03 – PARQUE DE JIGOKUDANI

O Parque de Jigokudani é uma atração localizada no vale do rio Yokoyu, conhecido por suas fontes termais e pelos seus visitantes animais ilustres. Jigokudani significa “Vale do inferno” em tradução literal, pois apesar de ser rodeado por penhascos íngremes, neve e florestas gélidas, vapor e bolhas de água fervente brotam do chão próximo às fontes.

O parque é famoso por ter no inverno a visita de grupos de macacos da neve, que buscam se refugiar do frio se banhando nas águas termais, e mesmo sendo um ponto turístico bem conhecido, é um ponto que geralmente não é lotado devido ao seu difícil acesso, logo é uma oportunidade para relaxar e fugir da loucura da cidade.


#02 - Fushimi Inari Taisha

O Fushimi Inari Taisha é um santuário da cidade de Kyoto que se estende por 4 quilometros à 230 metros acima do nível do mar e é composto de centenas de portões vermelhos (torii) que levam os visitantes a apreciar a vista da cidade e a visitar também templos menores. O templo é na verdade o santuário principal (taisha) do deus Inari e de mais de 32,000 templos espalhados pelo Japão, sendo visitado por milhões de pessoas todos os anos que vão até ele devido também à sua importância religiosa.


#01 – SUKIYABASHI JIRO

Possuidor de estrondosas três estrelas Michelin, esse pequeno restaurante de Tóquio é considerado por muitos como o melhor restaurante de sushi do país, se não do mundo. Ele é comandado pelo sushiman que dá nome ao restaurante, Jiro Ono, de 91 anos, que tornou-se figura lendária por seu trabalho meticuloso e sua inovação na culinária japonesa, preparando suas refeições para serem ingeridas no decorrer de menos de meia hora (devido ao fato do corpo humano levar 20 minutos para reconhecer que está satisfeito).

O lendário restaurante foi retratado pelo documentário “Jiro dreams of sushi” disponível na Netflix, que conta a história e faz o espectador realmente entender o amor emposto por Jiro em seu trabalho. É um do locais do Japão que mais estou interessado em visitar, mas cabe o aviso: os pratos custam aproximadamente 300 dólares e o prazo de espera para reserva pode ultrapassar um ano! Então é bom se preparar para gastar e esperar.

Eu poderia citar diversos outros pontos turísticos desse país maravilhoso que deixariam a sua viagem ainda mais incrível, como o Palácio Imperial do Japão e os templos de Kiyomizu-dera ou Todaiji, mas como só podemos falar de 5, deixo aqui as nossas indicações (e o nosso provável roteiro, será?) de pontos para se visitar. Espero que tenha conseguido atiçar a vontade vocês de conhecer o país, e se tiver, recomendo que marquem logo no Jiro, porque já estou marcando para daqui a dois anos.


EU ASSISTI: GIRLBOOS


Girlboss é a nova série do Netflix, baseada em uma autobiografia de mesmo nome da Sophia Amoruso, criadora do Nasty Gal, um comercio de roupas vintage que surgiu no e-Bay e virou uma loja online, alcançando um lucro de US$ 100 milhões em apenas sete anos. E apesar da empresa ter declarado falência e ter sido vendida por US$ 20 milhões, a série é baseada no livro lançado em 2014, escrito pela própria Sophia. 

A séria foi estrelada por Britt Robertson, Ellie Reed, Johnny Simmons e produzida por Charlize Theron, ela mostra o crescimento e o amadurecimento de Sophia Amoruso, desde a época em que trabalhava para ter uma vida normal até o momento em que, de repente, tudo começa a dar certo. 

Sophia tem 23 anos e não sabe o que fazer de sua vida, ela pula de emprego em emprego, sem conseguir parar em algum. Além disso, é solteira e não tem nenhuma perspectiva do seu futuro. Até que em um belo dia, depois de ser demitida, ela entra em um brechó e compra por US$ 9 dólares uma jaqueta de motociclista da década de 70 original e quando a consegue revender por aproximadamente US$ 700 dólares no e-Bay, descobre o que quer de sua vida. 



Não li o livro em que a Sophia escreveu sua autobiografia e tem o mesmo nome da série, e sempre fui muito leiga no assunto “moda”, então, as impressões que trago aqui hoje são apenas da série produzida pela Netflix. 

Os episódios são bem curtinhos e bem divertido, o que me fez maratonar a série inteira em apenas um dia, em algumas situações eles abusaram um pouco de alguns artifícios e tornaram algumas um pouco fictícia, mas isso apenas deram um toque a mais a série. A fotografia é muito colorida e deixando a série é bem interativa. 

A princípio a Sophia se mostra bem petulante e mimada, e segue assim por vários episódios, as vezes isso torna a situação engraçada, em outras não. Muitas vezes senti vontade de entrar na série só para dizer pessoalmente a ela: “Porra! Muda de atitude, mulher!”. Mas em um determinado momento da série, ela percebe que daquele jeito não vai para frente e amadurece. Também podemos ver que ela teve uma infância um pouco difícil com o pai, que não acredita no potencial dela, e a mãe, que fugiu de casa quando ela tinha 12 anos. 



Um dos melhores pontos da série é a de descobrir quem você realmente quer ser. As vezes nos perdemos tentando agradar nossos pais, mas seremos felizes fazendo algo que não queremos? O que é mais importante? No meu caso, nunca tive problema com isso, meus pais sempre disseram que eu poderia ser o que quisesse, nunca houve pressão em cima de uma profissão, então eu me descobri sozinha, sem ter uma pressão em cima de mim.

Sobre os personagens secundários cada um tem o seu papel na série, Annie, Shane, Nathan são os que mais aparecem, já que são o “grupo” de Sophie, mas temos outros importantes, como o Lionel, que é maravilhoso, o pai da Sophia, e os outros vendedores de roupa vintage que não acreditam no que ela faz (reformar as roupas antes de vende-las) e nem no potencial dela. 

A relação dela com os amigos, é muito bacana também! O relacionamento dela com Shane, a amizade dela com Annie, que muitas vezes me fez lembrar da minha melhor amiga várias vezes, também tem Nathan, um artista que se encontra na mesma situação que a Sophia. Dão um toque muito especial a série. 




No fim das contas, a série é curtinha, os personagens são cativantes, é divertida, mas tem drama na medida certa e é ótima para maratonar. Se você não entende nada de moda como eu, não se preocupe, você não vai ficar perdida na série. 

Espero que vocês tenham gostado da resenha e que deem uma oportunidade de assistir a série, porque os personagens


RESENHA: QUERO VOCÊ PARA SEMPRE - ANA CLEIDE

Título: Quero Você Para Sempre...
Autor(a): Ana Cleide da Silva
Páginas: 74
Editora: Autografia
Ano de Publicação: 2016
Classificação: 3,5/5
Adicione: Skoob
Compre: Autografia  Cultura

Ana Beatriz tem 25 anos de idade e mora com sua mãe. Apesar de ter muitos amigos, ela vive meio triste por não ter um amor. Certo dia, mesmo tendo tudo contra a ela ir a um show com suas amigas, ela acaba indo e lá conhece o seu futuro amor, um amor inesperado, um dançarino com 30 anos de idade chamado Filipe. Eles começam um relacionamento, que no começo tudo parecia que ia dar certo, porém acabam passando por vários conflitos, que até os fazem se afastarem.Mas será que eles irão aguentar as tempestades, pelas quais estão passando? Será que o amor vai falar mais alto, e eles irão realmente ficar juntos?
LIVRO CEDIDO PELA AUTORA

Quero Você Para Sempre conta a história de Beatriz, um mulher de 25 anos que mora com sua mãe e tem uma vida comum, e Filipe, um dançarino de 30 anos, lindo e maravilhoso! Os dois se conhecem por acaso em uma festa e acabam se interessando um pelo outro. A partir desse momento, vamos acompanhando a história dos dois e as tentativas de ficarem juntos.

A história de Beatriz e Filipe é comum e, por isso, fácil de se identificar. Todos nós já passamos por alguma situação parecida, seja de desencontros, ciúmes, insegurança. Em alguns momentos, confesso, achei a protagonista um pouco chata.
Uma coisa que não gostei muito no livro, é que a história é narrada em primeira pessoa pela própria Beatriz, que descreve com muitos detalhes os lugares, as roupas e as situações. E o fato de em algumas cenas, terem muitos personagens, deixaram a historia um pouco confusa. Porque o livro é bem curtinho, então não temos muita intimidade com todos e fica bem complicado gravar os nomes. Também senti falta de saber a opinião do Filipe, sua visão dos fatos, eu acredito que seria algo a acrescentar a história.



Ana Cleide conseguiu narrar vários uma história curta e direta. Beatriz é uma personagem fofa, um pouco chata às vezes, com todas as inseguranças e ciúmes de qualquer mulher da sua idade. Filipe é um príncipe de contos de fadas.

Quero Você Para Sempre é um romance curto e fofo, com umas historia simples e comum, que qualquer um de nós pode passar. O livro pode ser lido em poucas horas e é uma leitura bem gostosinha. O tipo de livro para passar o tempo em um engarrafamento, ou fila de alguma coisa.


Espero que vocês tenham gostado da resenha, sei que ela foi bem curtinha, mas o livro tem poucas paginas e se eu falasse mais, acabaria dando spoiller para vocês. 


DESAFIO DOS MARCADORES: PARA SE APAIXONAR

Como eu contei a vocês no outro post sobre o desafio completo, eu fiz uma promessa a Pedro (meu namorado) da qual me arrependo bastante e sempre encontro formas de burlar: eu não poderia comprar nenhum livro novo até que terminasse de ler todos os que eu tinha, então sempre que posso, peço algum livro de presente a alguém para burlar isso! Admito que estou trapaceando um pouco, mas quem gosta muito de ler pode entender minha dor, não é? 

No dia 01/03 eu comecei a leitura da TBR que separei para o desafio, sendo que eu deveria lê-los até o dia 15/04. Coloquei uma meta de seis semanas, porque eu costumo ler livros de parceiros aqui no blog, então tinha que dar tempo de ler tudo! 


Os desafios do marcador Para Se Apaixonar, eram: 

Um livro com um triangulo amoroso: A garota no trem
Um livro em que o protagonista foge: Toda luz que não podemos ver 
Um livro com mais de um ponto de vista: Na porta ao lado
Uma história de amor baseada em fatos reais: Para sempre
Um livro que passa em um lugar que você sempre quis visitar: Harry Potter e a câmara secreta
Um livro com um reencontro amoroso: A última carta de amor
Um livro que virou filme: Divergente

Se quiserem conferir a resenha de um dos livros, basta clicar nome deles. Eu não fiz a resenha de Para Sempre e Harry Potter e a câmara secreta, por se tratarem de livros mais antigos e que praticamente todo mundo conhece a história, no caso de HP, e do outro porque era uma releitura. 



RESENHA: GOSTARIA DE TÊ-LA EM MINHA CAMA NOVAMENTE - N.R

Título: Gostaria de Tê-la em Minha Cama Novamente...
Livro: 02
Série: Meu Irmão
Autora: N.R.
Editora: Idependente
Páginas: 77
Adicione: Skoob 
Compre: Amazon

Quando ela ergueu a cabeça, encontrou meu olhar. Ela estava com uma aparência cansada e mesmo assim tão linda. Parecia frágil e quebrada. Quebrada por dentro. Quando ela me viu, conseguiu ficar mais pálida do que já estava. Minha Nat... Minha... Tão linda e perfeita. Sem um pingo de maquiagem. Tão natural. Tão delicada e vulnerável. Parecia um passarinho. Não. Parecia um beija-flor que acabara de cair do ninho, e estava assustada e desamparada. Mas eu estava aqui. Estava aqui para levá-la de volta ao ninho. Sorte a dela. Mas sorte a minha.
LIVRO CEDIDO PELA AUTORA 


Depois de ouvir uma conversa de James com Mike, Natalie decide que a melhor coisa a se fazer por seu irmão, que também é seu atual namorado, é fugir e deixá-lo livre. Então ela enfia suas coisas em uma mochila e começa a dirigir sem rumo, sabendo apenas que quer ficar o mais longe possível de tudo que passou ao lado dele. Cansada e, com fome, ela para em um posto de gasolina, onde fica para passar a noite.

É quando ela conhece Isac, filho dos donos do posto e da hospedagem. O rapaz é bonito e atencioso, mesmo que ela não demonstre interesse nele, pois continua com vontade de ficar sozinha e chorar por ter perdido a única pessoa que amo na vida, James. 

Como amar alguém, como se sentir atraída por alguém depois de você ter deixado o melhor para trás?

Quando James descobre que Natalie fugiu, se junta com seus amigos e partem a procura de sua amada, para poder trazê-la de volta e explicar o que aconteceu de verdade.

Mas quando James a encontra, as coisas não se resolvem facilmente. Apesar de ambos sentirem a mesma coisa, precisam resolver os problemas e decidirem se são realmente capazes de enfrentar e conviver com os olhares da sociedade?

Como as pessoas iriam reagir? Nós sabemos e entendemos nosso sentimento... Mas e o resto do mundo? E nossos pais?

O livro é bem curtinho e continua sendo narrado pela perspectiva de ambos personagens, uma coisa que gosto pois assim sei o que cada um dos personagens estão sentindo naquele momento. Mas como eu disse na resenha do primeiro livro, história é boa, mas eu queria um pouco mais deles, queria conhecer mais do James e da Natalie. Fora isso, encontrei muitos erros de português que atrapalharam bastante a leitura, mas a autora já me contou que o livro voltou para revisão.


[TOP 5] MÚSICAS MAIS OUVIDAS NO MOMENTO


No top 5 de hoje, eu trouxe para vocês as músicas que mais tenho ouvido no momento, vocês vão perceber que minhas Playlists são um pouco ecléticas. Nelas tem músicas desde animações da Disney até Caetano Veloso. 

No Te Quiero Nada - Ha-Ash: Quem me conhece sabe o quanto sou louca por bandas mexicanas, e a algum tempo me esbarrei nessa dupla, que são irmãs e cantam músicas maravilhosas. Essa é uma delas, com a participação especial de um cantor que não conheço muito, mas achei que a composição das vozes deles muito linda. 

Beauty And The Beast – Ariana Grande e John Legend: Como eu falei na resenha que fiz do filme, eu e meu namorado saímos do cinema cantando todas as músicas e rapidamente baixamos o CD no Spotify. Essa versão da música é mais calma do que a do filme e como eu já gostava do John Legend antes disso, fiquei encantada com essa música e não paro de ouvir. 

Talvez em Roma – Dulce Maria: Não é segredo para ninguém que AMO de PAIXÃO a Dulce Maria desde o RBD e que continuo acompanhando a carreira solo dela. DM, o novo CD dela lançado no mês passado, traz músicas maravilhosas, mas de todas, Talvez em Roma é a minha favorita. 

Leãozinho – Caetano Veloso: O que falar dessa música? Sempre que a escuto, penso em meu namorado, então ela nunca sai dos meus favoritos. 

Oh Meu Deus – Projota: Conheci Projota em 2011 e desde então gosto de acompanhar sua carreira, em 2015 realizei um dos meus sonhos de ir a um show dele e inclusive, consegui entrar em seu camarim e tirar uma foto com ele, graças a minha irmã Camila, que insistiu muito para que tentássemos. Essa é sua nova música de trabalho e estou muito viciada!!


Essas são as músicas que mais tenho ouvido no momento, espero que tenham gostado! Me contem o que vocês tem ouvido no momento?


3 MOTIVOS PARA LER DEATH NOTE


Eu conheci Death Note em 2012, quando um amigo me apresentou e devorei os mangás! A história me surpreendeu bastante, porque tem muita ideologia boa e tem MUITA qualidade. Mas poucas pessoas conhecem essa história, por isso trouxe 3 motivos maravilhosos para vocês correrem e lerem aos mangás. 

01 – Os Personagens 

Todos os personagens tem uma função no anime, todos são essenciais no enredo e cada um tem sua característica única. Cada um deles é bem construído e introduzido no momento certo. Você é apresentado ao personagem, conhece a função dele, mas ele vai continuar te surpreendendo por toda a trama, as vezes por segredos guardados, as vezes por atitudes inesperadas. 

02 – O Enredo

Se você nunca ouviu falar de Death Note, vou te contar um pouco da historia. Ligth acha um caderno da morte e ele tem algumas regras. Uma delas é que se você escrever o nome de uma pessoa nele, ela irá morrer. Ligth é um estudante prodígio e filho de um policial influente, mas ele não resiste à tentação de experimentar o caderno, e depois que o experimenta acaba se viciando. Ele resolve escrever os nomes de bandidos conhecidos, e assim acaba despertando o interesse do governo, que contrata L, um jovem detetive, para descobrir quem está por trás dos assassinatos e como estão fazendo isso. O melhor de tudo, é que acompanhado do shinigami (deus da morte), Ryuk, que é o alivio cômico da serie.



Mas do que apenas uma história de suspense, Death Note nos trás questionamentos importantes. Até que ponto você continua sendo o mocinho quando está decidido a fazer a coisa errada? Matar uma pessoa, não importa quem seja, te transforma no vilão?

03 – Superprodução. 

A Netflix, dentro de alguns meses, vai lançar o filme baseado nos mangás/anime. Parece ser uma superprodução e eu espero que o filme seja bom, porque gosto muito da série. Além disso, se você não tiver vontade de ler, pode assistir o anime na própria Netflix!





RESENHA: A BALANÇA DO DESTINO - JOYCE FREITAS

Título: A balança do destino
Série: The Balance
Livro: 01
Autora: Joyce Freitas
Classificação: 3/5
Páginas: 206
Ano: 2016
Editora: Novo Século
Adicione: Skoob
Compre: SaraivaCultura Cia dos Livros Amazon
Angel é uma garota de dezesseis anos que vivia sua vida tranquila com Mary, sua mãe, até se dar conta de que sempre foi vigiada por um estranho homem. Ao resolver questioná-lo, ela descobre que ele foi enviado pelo seu verdadeiro pai, Lúcifer, e que ela representa a balança de equilíbrio entre o Bem e o Mal. Um mundo mágico – e perigoso –, onde existem fadas, vampiros, bruxas, anjos caídos, trolls e muitos outros seres, é apresentado a ela. Mas, em meio a tudo, ela ainda tem de lidar com seu coração dividido entre Dimitri, um jovem atencioso, lindo e um perfeito cavalheiro, e o sarcástico e perverso Derek, príncipe dos vampiros. Como manter o equilíbrio de forças tão importantes, tendo de lidar com sentimentos tão confusos?

LIVRO CEDIDO PELA AUTORA


Angel é uma patricinha de dezesseis anos que vive em uma mansão em New York com todos os luxos que tem direito. Mas ela começa a perceber que em todo lugar que vai, um homem misterioso a segue. Quando decidi tirar satisfação, Angel descobre que seu nome é Dimitri, apenas ela pode vê-lo e que isso tudo tem a ver com o seu pai biológico. 

A verdade é que o mundo da patricinha vira de cabeça para baixo quando ela descobre que seu pai é o Lúcifer, o rei das trevas, e sua linhagem materna descente de um Arcanjo muito importante, por esse motivo ela se tornou o equilíbrio entre o bem e o mal, e todos os seres místicos das trevas estão atrás dela para matá-la.

"Você é filha do Rei das Trevas ou do Submundo, que é como você chama, e ainda é filha de um anjo importante. É o equilíbrio de tudo. Com certeza você tem poderes e ainda é forte até mais do que eu - falou com respeito." (Página 70)

Ao mesmo tempo em que tenta lidar com sua nova realidade, ela começa se vê em meio a um triangulo amoro com Dimitri e Derek, o príncipe dos vampiros. 

Eu, sinceramente, achei a narração confusa em diversos momentos. As vezes um personagem está narrando, mas na frase seguinte está na terceira pessoa. Também achei que a autora deixou passar alguns detalhes importantes na história. Mas apesar disso tudo, a história é boa e eu li o livro em apenas um dia. 


É o primeiro livro da série e o primeiro livro da autora, então espero que nos próximos livros a escrita da autora esteja mais madura, assim como seus personagens, porque a Angel é mimada e chata demais para o meu gosto.

Também aproveitei as músicas que foram mencionadas no livro para fazer uma playlist no Spotify, então fiquem a vontade para ouvi-la.


EU ASSISTI: POWER RANGER


Power Ranger marcou minha infância de uma forma maravilhosa, são muitas as lembranças de assistir a série, de me imaginar sendo a ranger rosa, de pular pela casa gritando ‘‘É HORA DE MORFAR‘‘. Então quando soube que iria ter um remake desse clássico que era reprisado de forma exaustiva em todos os programas infantis, criei uma expectativa enorme, fiquei muito ansiosa para assistir e não me decepcionei em momento nenhum.

Cinco adolescentes comuns e completamente diferentes um do outro, descobrem pedras que lhes dão dons extraordinários. Tentando descobrir o que de fato aconteceu naquela noite, eles acham uma nave espacial e descobrem que foram escolhidos pelo destino para serem os novos Rangers e que precisam proteger Angel Grove, a pequena cidade em que vivem, e o mundo inteiro, que está a beira do extermínio por uma ameaça alienígena. Eles são os únicos que podem salvar o planeta, mas, para isso, eles precisam superar seus problemas pessoais e as diferenças entre si. 

O resultado do filme é sensacional, os personagens são apresentados de maneira grandiosa, cada um deles tem uma personalidade detalhada para que possamos nos importar e criar empatia com eles, antes de simplesmente partirem para pancadaria. O filme consegue dividir na medida certa a introdução dos protagonistas, o treinamento deles e, a parte mais esperada de todas, a pancadaria.


Cada um dos heróis tem seus próprios momentos na trama, mas o que mais gostei foi deles terem introduzido um autista que busca se encaixar na sociedade e uma garota que está tentando descobrir sua sexualidade, uma garota que fez sim algo de errado no seu passado e está tentando lidar com isso. A complexidade deles me fez lembrar ‘‘Clube dos Cinco‘‘


Tive vontade de aplaudir o elenco desse filme, que fizeram uma ótima atuação, Dacre Montgomery (Ranger Vermelho), Becky G. (Ranger Amarelo), Ludi Lin (Ranger Preto), Ri Cyler (Ranger Azul) e Naomi Scott (Ranger Rosa) e Elizabeth Banks (Rita Repulsa) a nossa vilã. A fotografia e os efeitos especiais do filme estão impecável.

Power Rangers nos faz ter a nostalgia da nossa infância recriando heróis icônicos de uma nova geração. Mal posso esperar pelo segundo filme.


RESENHA: TODA LUZ QUE NÃO PODEMOS VER ANTHONY DOERR

Título: Toda Luz que não podemos ver
Título Original: All the light we cannot see
Autor: Anthony Doerr
Editora: Intrínseca
Páginas: 528
Ano: 2015
Onde Comprar: Submarino ☮ Americanas 
Saraiva Amazon
Adicione: Skoob


Marie-Laure vive em Paris, perto do Museu de História Natural, onde seu pai é o chaveiro responsável por cuidar de milhares de fechaduras. Quando a menina fica cega, aos seis anos, o pai constrói uma maquete em miniatura do bairro onde moram para que ela seja capaz de memorizar os caminhos. Na ocupação nazista em Paris, pai e filha fogem para a cidade de Saint-Malo e levam consigo o que talvez seja o mais valioso tesouro do museu. Em uma região de minas na Alemanha, o órfão Werner cresce com a irmã mais nova, encantado pelo rádio que certo dia encontram em uma pilha de lixo. Com a prática, acaba se tornando especialista no aparelho, talento que lhe vale uma vaga em uma escola nazista e, logo depois, uma missão especial: descobrir a fonte das transmissões de rádio responsáveis pela chegada dos Aliados na Normandia. Cada vez mais consciente dos custos humanos de seu trabalho, o rapaz é enviado então para Saint-Malo, onde seu caminho cruza o de Marie-Laure, enquanto ambos tentam sobreviver à Segunda Guerra Mundial.Uma história arrebatadora contada de forma fascinante. Com incrível habilidade para combinar lirismo e uma observação atenta dos horrores da guerra, o premiado autor Anthony Doerr constrói, em Toda luz que não podemos ver, um tocante romance sobre o que há além do mundo visível.


“Toda luz que não podemos ver” conta a história de Marie-Laure e Werner, duas crianças vivendo em lados totalmente opostos na Segunda Guerra Mundial. A Marie-Laure é cega desde os seis anos de idade e vive em Paris com seu pai, que trabalha no Museu de História Natural, responsável por cuidar de milhares de chaves do local. O Wenner é um pobre garoto órfão que vive em uma pequena cidade na Alemanha na Casa das Crianças, um pequeno orfanato, junto com sua irmã mais nova, Jutta. 

O pai de Marie-Laure, querendo a todo custo que sua filha fosse esperta o suficiente para não se perder e conseguir se virar sozinha o mínimo que fosse, começa a testá-la de diferente formas, até montar uma maquete do bairro onde viviam, para que ela memorizasse os caminhos e presenteá-la com quebra cabeças. 

“Abram os olhos e vejam tudo o que conseguirem ver antes que se fechem para sempre.”

Mas tudo muda quando Paris é ocupada pelos nazistas, Marie e seu pai fogem as pressas para Saint-Malo, onde mora o seu tio avô Ettienne, um senhor assombrado pelos fantasmas da última guerra, que lhe tirou seu irmão mais novo, que vive em uma enorme mansão somente com sua empregada. 

Enquanto isso, Werner acha um velho rádio no lixo e depois de tanto desmontá-lo e montá-lo, ele consegue fazê-lo funcionar. Encantado com aquilo, o menino passa a se interessar por matemática e aprender mais sobre o funcionamento do aparelho. Em pouco tempo, é ele que começa a concertar os equipamentos de toda a vizinhança.

Esse talento dele desperta o interesse dos soldados e faz com que Werner seja mandando para uma escola nazista aos 14 anos, deixando para trás sua irmã; Com o tempo, o garoto vai ganhando a atenção dos comandantes e famosos naquele meio. 














Conheci o livro em 2015 na turnê intrínseca e fiquei louca por ele. Eu tenho um fraco enorme por histórias que se passam durante a Segunda Guerra Mundial, principalmente as baseadas em fatos reais, que não é o caso desse livro, mas ainda assim me despertou o interesse. O comprei na mesma época, mas apenas agora consegui lê-lo. 

O livro nos conta uma história muito interessante sobre aquela época, com capítulos super curtinhos, o que é maravilhoso para mim que sempre fico: “Só mais um capitulo”. O autor sempre altera entre as visões de Marie e Werner, chegando as vezes a alternar o passado e o presente, a história de fato começa em 1944, mas ele volta os anos para chegar até ali. 

“É certo fazer algo apenas porque todas as outras pessoas estão fazendo?”

A protagonista ser cega é um fato muito importante no livro, eu tive medo do autor não conseguir narrar aquilo bem o suficiente para eu sentir emoções da personagem, mas a narrativa é muito rica em detalhes e fez com que eu me emocionasse em diversas vezes. 

Para quem não está acostumado com muitos detalhes na história, ou com livros sobre aquela época, pode ser que a leitura se torne cansativa, mas para mim ela foi maravilhosa. Apesar de ter parado de ler em diversas situações, porque a carga emocional do livro é muito grande. É um livro que recomendo bastante, pois é possível ver o amor acima de tudo, de um irmão pela irmã, de um pai por uma filha, de uma filha pelo pai e etc.


 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!